O despertar de uma micro-orquídea - Sophronitis cernua


Botão floral da micro-orquídea Sophronitis cernua
Sophronitis cernua

No universo das micro-orquídeas, é comum nos depararmos com flores tão minúsculas que requerem uma lupa para serem apreciadas. Não é o caso da Sophronitis cernua. Apesar do seu tamanho diminuto (poderia ser plantada em um dedal), esta orquídea produz uma floração exuberante, em cores que variam do amarelo ao vermelho vivo, passando por vários tons de laranja. Um espetáculo que pode ser notado à distância.

Há vários anos, tento cultivar esta geniosa micro-orquídea. Já perdi alguns exemplares, mas sempre tento novamente. O principal requisito para o cultivo bem sucedido é fornecer uma boa umidade relativa do ar. Aqui no apartamento, devido ao clima árido, vento forte e sol intenso, plantei a orquídea em um vaso plástico com musgo sphagnum. Somente assim, consegui mantê-la viva. Adicionalmente, o vaso fica sobre uma bandeja coberta com pedrisco e uma lâmina de água. Tudo para elevar a umidade ambiente.

Ainda assim, foram mais alguns anos sem ver flor alguma. Neste começo de ano, quando uma nova folha começou a ser formada, notei que a mesma estava meio gordinha. Quando finalmente se abriu, veio a surpresa. Um único botão, do tamanho de um grão de arroz. Para os orquidófilos experientes, uma floração pífia. Para mim, após anos de espera, uma vitória. Em breve, os próximos capítulos desta verdadeira saga.