Cattleya walkeriana 'Feiticeira' - A orquídea que vale ouro


Orquídea Cattleya walkeriana 'Feiticeira'
Cattleya walkeriana 'Feiticeira'

Esta orquídea rara, uma Cattleya walkeriana única, foi descoberta na década de 1960, por José Dias de Castro, e logo tornou-se uma das mais cobiçadas e valiosas flores do país. Além da forma e simetria perfeitas, o que a torna tão especial é o fato de que, até os dias de hoje, as mais modernas técnicas de laboratório não conseguiram reproduzi-la em série.

Há basicamente duas formas de produção de orquídeas em grande escala, através de sementes ou meristema. A Cattleya walkeriana 'Feiticeira' produz sementes estéreis, inviabilizando esta opção. Por outro lado, a técnica de multiplicação por meristemas não garante que os clones serão idênticos à planta original. Particularmente, a Feiticeira tem uma instabilidade genética que produz deformações na prole. Esta dificuldade de reprodução em larga escala é o principal fator que torna esta orquídea tão rara.

Até os dias de hoje, todos os exemplares de Cattleya walkeriana 'Feiticeira' encontrados no mercado são descendentes da única orquídea descoberta por José Dias de Castro, meio século atrás.

Dentre as milhares de espécies de orquídeas existentes no mundo, a Cattleya walkeriana talvez seja aquela que tem o maior número de admiradores, especialmente no Brasil. Muitos orquidófilos dedicam-se exclusivamente ao cultivo desta orquídea, sendo que existem associações específicas para reunir seus admiradores. No mercado especializado, que conta inclusive com leilões disputadíssimos, uma rara orquídea Cattleya walkeriana pode atingir cifras próximas a 40 mil reais.

Colecionadores do mundo todo vêm ao Brasil em busca de novas e mais perfeitas variedades de Cattleya walkeriana, espécie que foi encontrada pela primeira vez em Minas Gerais, em 1839, por George Gardner, médico britânico conhecido por sua paixão pelas plantas. Seu assistente, Edward Walker, teve seu sobrenome latinizado e eternizado no batismo desta orquídea especial.

Além da cor excepcionalmente bela, da grande simetria e harmonia de suas pétalas e sépalas, a Cattleya walkeriana é conhecida por seu perfume único de suas flores. O porte da orquídea é compacto, parecendo pequeno em comparação ao tamanho avantajado de suas florações, que costumam surgir tipicamente durante os meses do outono.

O exemplar da foto, evidente e infelizmente, não é meu. Tive a oportunidade de fotografá-lo durante uma exposição de orquídeas. 

Como meu olho é maior do que meu bolso, logo aprendi a reconhecer uma Cattleya walkeriana 'Feiticeira'. Dentre todas, ela é a única que forma o desenho de uma gota, bem ao centro, na junção entre as duas pétalas. Segundo o que pude apurar, cada pseudobulbo desta orquídea está cotado em torno de mil reais. Considerando que uma orquídea deve ter ao menos três pseudobulbos para se desenvolver bem, vocês já podem calcular o valor do estrago.