Orquídea Dendrobium aggregatum


Orquídea Dendrobium aggregatum
Dendrobium aggregatum

Esta é uma orquídea que demorou a florescer, aqui no apê. Após dois anos de cultivo, eis que um botão floral inédito finalmente surgiu, há alguns meses, para minha surpresa. Hoje, um pouco atrasado, trago para vocês a floração completa deste Dendrobium aggregatum, que ocorreu durante o auge da primavera, nos meses de outubro e novembro deste ano.

Também conhecida como Dendrobium lindleyi, em homenagem ao botânico inglês John Lindley, esta orquídea é típica de diversos países asiáticos, tais como China, Laos, Tailândia e Vietnã. Trata-se de uma orquídea epífita, de pequeno porte, cuja floração costuma ser abundante, consistindo em longas hastes repletas de avantajadas flores amarelas. No meu caso, apesar de possuir uma planta com um bom aspecto vegetativo e inúmeros pseudobulbos, obtive uma floração modesta, com apenas uma haste portando três flores. 

Como resultado, a haste floral permaneceu ereta, facilitando em muito a obtenção da foto que ilustra este artigo. Geralmente, devido ao maior número de flores, os cachos acabam tornando-se pendentes, proporcionando um espetáculo de floração. Espero que a coisa melhore no ano que vem.

O cultivo desta orquídea é um pouco mais dificultado devido às grandes mudanças que precisam ser aplicadas ao regime de regas e adubação, dependendo da estação do ano. Durante os meses do verão, quando novos pseudobulbos estão em desenvolvimento, as regas precisam ser abundantes. O substrato pode ser mantido mais úmido, neste período. No final do outono, e durante todo o inverno, é necessário aplicar o chamado stress hídrico, procedimento através do qual as regas são drasticamente reduzidas. A adubação também pode ser suspensa. 

O substrato mais seco, combinado com a queda de temperatura e diminuição de nutrientes, sinalizará à planta que a época de floração aproxima-se. Tomadas estas precauções, as hastes florais devem começar a surgir com a chegada da primavera. Nesta ocasião, as regas podem ser retomadas.

O meu Dendrobium aggregatum, como a maioria das minhas orquídeas, está sendo cultivado em um pequeno vaso de plástico preenchido com musgo sphagnum. Eu ganhei a planta do casal Hiroko e Takashi Matsumoto, há dois anos. Tem sido uma grande alegria acompanhar a evolução desta orquídea, que considero belíssima, pelo colorido exuberante e pela generosidade da floração.


8 comentários:

  1. Tenho um problema sério com os dendrobiuns... Exceto o nobilis, que "se cria" naturalmente, todos os demais, incluindo o aggregatum que tive, foram/são um fracasso. Mas sou insistente... tão logo as sobreviventes se estabilizem (logo completaremos o primeiro ano da mudança), vou atacar os dendrobiuns! Me aguarde! Parabéns pelo seu empenho e paciência; sempre vale a pena, não? Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô, Alexia, que pena... Sim, eles são temperamentais! Também tenho dificuldades com este gênero, mas sigo tentando. Com certeza, sempre vale a pena!

      Torço para que sua coleção fique ainda mais bela com este gênero! Muito obrigado pelo carinho da sua visita e pela importante participação!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Olá Sérgio, parece que esse dendrodium gosta mesmo de fazer seus donos esperarem, o meu está me testando a paciência...rsrsrrsrs, mas aguardarei pq a floração é delicada e de um amarelo espetacular(como vê-se no seu). Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Jalo? Pois é, que coisa! Mas, com certeza, vale a pena esperar. Torço para que o seu lhe presentei com uma belíssima floração. Muito obrigado pelo gentil comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Sergio, como é bela essa magnífica orquídea amarela!!
    E como é trabalhoso o procedimento para que a mesma fique florida e linda assim!! As suas explicações, seu zelo e cuidado são surpreendentes!! Digno de aplausos!!!!

    Sabe amigo, a orquídea rosácea aqui de casa também floriu na primavera e agora as flores caíram por completo... A haste continua intacta...Apenas as folhas amarelaram pelo excesso de sol que tomaram (meu pai, inadvertidamente, colocou a pobrezinha para tomar o orvalho da noite ( vê se pode) e a esqueceu-a até o dia seguinte, quando a delicada orquídea amanheceu sob um sol fortíssimo... :( Não sei como ela sobreviveu a tanta intempérie amigo... Mas creio que agora não há mais salvação para ela...
    Lendo seu artigo compreendi o quanto elas são frágeis e precisam ser muito bem cuidadas!!

    Ainda bem que aqui aprendo muita coisa e agora foi fazer meu pai ler seus artigos para não cometer esses erros que, segundo ele ( feitos para o bem dela) praticamente a destruiu por completo...

    Desculpe o desabafo amigo querido!!!
    Mas é assim né?
    Adorei estar aqui!!
    Beijos e uma semana maravilhosa!! :))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana! Nossa, mas que pena... Tomara que ela se recupere, não desanime. De fato, o sol direto é inimigo da maioria das orquídeas, que cresce sob as copas das árvores.

      Mas que bom saber que gostou desta orquídea e que tem aproveitado os artigos! Imagine, você é quem manda aqui neste espaço, fique sempre à vontade!

      Muito obrigado pela visita e por compartilhar sua experiência conosco! Espero que tudo se resolva!

      Beijos e uma ótima semana!

      Excluir
  4. O meu já tem uns 2 anos e ainda não floriu, mas está com o vegetal muito bonito. Ano que vem, vou criar coragem e aplicar o famoso stress hídrico. O frio aqui é modesto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Rodrigo? Pois é, eu também tenho dificuldade em aplicar este stress hídrico! Torço para que dê certo e seu Dendrobium floresça. Muito obrigado pela visita e por compartilhar sua experiência!

      Um grande abraço!

      Excluir