Como Cuidar de Orquídeas Vandas no Inverno


Ascocentrum Sagarik Gold x Ascocentrum curvifolium
Ascocentrum Sagarik Gold x Ascocentrum curvifolium
Foto e cultivo: Vico Orquídeas e Vandas

Dentre os integrantes de uma das famílias botânicas mais surpreendentes e ricas em diversidade, a Orchidaceae, destacam-se as exóticas Vandaceas. São orquídeas asiáticas de enorme apelo junto ao público consumidor de todo o mundo, conhecidas por suas raízes aéreas, cultivadas em ausência de substrato, seu colorido diverso e exuberante e, em muitos casos, seu perfume inesquecível.

As orquídeas Vandas pertencem, na verdade, a um variado grupo de gêneros, que inclui Vanda, Ascocentrum, Rhynchostylis, entre outros, além de inúmeros híbridos intergenéricos.

Dentre os atrativos que as orquídeas Vandas oferecem está o fato de não necessitarem de substrato. Seu hábito de crescimento monopodial permite que a mesma planta seja cultivada por décadas a fio, sem necessidade de vasos, substratos e replantes. Além disso, apresentam generosas florações, que podem ocorrer até três vezes em um mesmo ano.

De crescimento lento e contínuo, as orquídeas Vandas são tipicamente tropicais, necessitando de calor, umidade e bastante luminosidade para um bom desenvolvimento e florações. Estas características fazem com que o cultivador precise tomar alguns cuidados básicos durante o inverno, estação que pode trazer riscos ao cultivo bem sucedido destas orquídeas.

1. Orquídeas Vandas não gostam de frio


Um dos principais problemas da chegada do inverno é que as orquídeas Vandas podem entrar em dormência quando expostas a baixas temperaturas. Seu crescimento é interrompido até que condições mais favoráveis surjam. Nestas circunstâncias, suas florações também podem ser prejudicadas.

Os cultivadores de Vandas que moram em locais de climas mais frios têm o costume de colocar suas orquídeas dentro de casa, durante as noites mais frias de inverno. Isso as protege das baixas temperaturas e evita que entrem em repouso forçado. No entanto, é sempre importante colocá-las de volta ao seu local habitual de cultivo, logo que amanhecer. Sol e ventilação são cruciais para as Vandas, que não vão bem quando cultivadas dentro de casa.

2. Como regar orquídeas Vandas no inverno


Não é porque esfriou que podemos parar de regar as orquídeas. Principalmente as Vandas, que são cultivadas sem substrato. Mas a chegada do inverno pede moderação. 

Se estiver muito frio, a rega não precisa ser diária. Também é aconselhável evitar molhar as folhas, nesta estação. Procure regar as raízes na parte da manhã, para que elas tenham tempo de secar ao longo do dia. O acúmulo de água entre as folhas é perigoso e pode causar doenças fúngicas ou bacterianas.

3. Protegendo as orquídeas Vandas do vento


Uma boa ventilação é fundamental para o cultivo apropriado da orquídea Vanda. Caso suas folhas e raízes permaneçam molhadas por muito tempo, sofrerão o ataque de fungos e bactérias, que irão deteriorar estas estruturas. É particularmente importante evitar o acúmulo de água nas axilas das folhas e na parte central, a partir da qual elas nascem.

No entanto, o excesso de vento é prejudicial a estas plantas, que podem sofrer desidratação, por serem cultivadas com as raízes nuas. 

Durante o inverno, principalmente, certifique-se de que as Vandas não estejam localizadas no caminho de corredores de vento, que tenderão a desidratá-las, prejudicando seu desenvolvimento.

Seleção de orquídeas Vandas
Seleção de orquídeas Vandas
Foto e cultivo: Vico Orquídeas e Vandas

Estas dicas de cultivo de orquídeas Vandas durante o inverno foram fornecidas por nosso parceiro Vilberto Guidi, proprietário da Vico Orquídeas e Vandas. As fotos apresentadas neste artigo são de autoria dele, que é um especialista em Vandaceas.

Ao Sr. Vico e à Márcia Mojola, deixo meu agradecimento por acreditarem neste trabalho e por apoiarem as diversas atividades deste veículo de comunicação.


8 comentários:

  1. Infelizmente prá quem vive no sul, como eu, as Vandas são "proibidas". O frio e o vento exigiriam uma estufa, o que se torna seu cultivo muito complicado. Uma pena, pois são maravilhosas! Muito interessante teu texto, obrigada! Um abraço, Alexia (sem meu computador!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alexia, tudo bem? Pois é, uma pena! Eu também não consigo cultivar, aqui na varanda do apartamento. Venta muito.

      Mas que ótimo saber que gostou do texto! Imagine, eu que agradeço a você por sempre prestigiar este espaço!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Sérgio!
    Ótimas dicas!
    Dá uma olhadinha no teu e-mail.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Liza! Que bom que gostou, muito obrigado pela visita! Vou lá ver, sim!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Olá Sérgio! Parabéns pela matéria, de muita utilidade e originalidade! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Jalo? Imagine, bondade sua! Que alegria ler seu comentário, fico feliz por saber que gostou da matéria! Muito obrigado pelo apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  4. Sérgio querido! Moro em Porto Alegre. Vou tentar uma Vanda no meu banheiro. É bem grande, úmido, iluminado e ventilado. A minha dúvida é em como dispor a orquídea. Não quero deixar as raízes expostas. Vc tem alguma ideia de disposição chique p uma Vanda? Adoro seu blog! Obrigada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Clara, tudo bem? De modo geral, os cultivadores preferem deixar as raízes nuas, sem vaso nem substrato. Elas apodrecem com facilidade, quando úmidas por muito tempo. Há quem cultive em vasos de vidro, ficam lindas! Mas é preciso tomar cuidado para não acumular umidade.

      Que bom saber que gosta do blog! Muito obrigado pela visita e pelo carinho!

      Um grande abraço!

      Excluir