A saga das Orquídeas no Apê


Orquídea Laelia longipes
Laelia longipes

Tudo bem, Pessoal? Hoje, venho compartilhar algumas reflexões acerca do modus operandi deste humilde orquidófilo e suas consequências nas vidas das orquídeas que por aqui passam.

Após anos de cultivo, percebo um certo padrão no ciclo de vida das plantas que têm o infortúnio de cair em minhas mãos.

Aquelas orquídeas que compro pela internet costumam chegar detonadas. Imagine a criatura crescendo bela e feliz em uma estufa, com todas as regalias, em um ambiente de cultivo milimetricamente controlado. Subitamente, a coitada é arrancada do vaso, embrulhada em um pedaço de jornal, enfiada em uma caixa e passa dias sufocada, sendo jogada de um lado para o outro, nos correios.

Aqui no apartamento, estas plantas costumam levar anos em um processo de adaptação. Muito frequentemente, após uma lenta agonia, morrem sem sequer terem a chance de florescer.

As orquídeas que compro ou ganho pessoalmente, por outro lado, chegam exuberantes. Já adaptadas em seus vasos, muitas vezes floridas, mostram no viço de suas folhas e raízes o excelente tratamento a que foram submetidas.

Nestes casos, o padrão que costumo observar é outro. Estas orquídeas passam alguns anos saudáveis, florescendo uma ou duas vezes por ano, até que, por algum motivo, entram em um processo de decadência. O primeiro sinal é que param de emitir novos brotos e raízes. Em seguida, percebo um aumento significativo na incidência de pragas, principalmente cochonilhas.

Após algum tempo estacionadas, lutando contra as intempéries da varanda, e a despeito de replantes e tratamentos, acabam passando desta para melhor. Este processo é bastante comum em orquídeas mais sensíveis, tais como Sophronitis e Masdevallia. Mas já presenciei este fenômeno em Cattleya e Dendrobium, teoricamente mais resistentes.

Resumo da ópera: mais cedo ou mais tarde, de uma maneira ou de outra, todas acabam morrendo!

Trata-se de algo perfeitamente compreensível, dadas as minhas condições inóspitas de cultivo. Durante estas últimas tempestades de verão, presenciei vasos sendo derrubados e arrastados pelo vento, sem nada poder fazer. 

É algo que desanima bastante e que tem me desmotivado a fazer novas aquisições. No momento, sinto que tenho empurrado este hobby com a barriga. Peço desculpas pela falta de novidades, tenho refletido bastante a respeito destes problemas e tentado encontrar maneiras de contorná-los.




34 comentários:

  1. Sérgio não desista!!
    Flores sempre valem a pena!
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô, Liza, fico até emocionado! Muito obrigado pela força, concordo com você, sempre valem a pena!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Existem espécies que são mais sensíveis mesmo em casa não consigo levar adiante como Masdevallia,Dráculas e algumas micros,aprendi a apreciar dos outros orquidófilos .Não desista,procure espécies que se adaptam melhor ao seu ambiente,abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sonia! É verdade, eu também estou desistindo da maioria das micro-orquídeas. São bastante delicadas. Mas que ótimo ler seu comentário, muito obrigado pela importante participação!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Sergio, até pensei em cultivar minhas orquídeas na sacada, mas devido ao sol, vento e chuva, desisti. Coliquei-as na lavanderia. Tente mudá-las de lugar. Sabe que estou tirando minhas orquídeas do vaso e colocando-as em tronco? Elas estão começando a gostar. No começo as folhas começaram a murchar, achei que era até por causa do imenso calor que está fazendo aqui, mas na verdade é que elas sentiram o transplante. Mas agora as folhas começaram a ficar mais firmes, estão soltando raízes e uma até soltou folhas, todas phals. Acho que vc não deve desistir. Vc tem muito talento e conecimento com elas. Tente outro local. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dani, tudo bem? De fato, comecei cultivando dentro do apartamento, mas tive problemas com falta de luminosidade. Que ótimo saber que seu cultivo em troncos tem dado certo! Por aqui, percebo esta desidratação, mas talvez não tenha insistido o suficiente.

      Bondade sua, muito obrigado por compartilhar sua experiência conosco e pelas palavras de apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  4. Sergio querido. A maior parte das orquídeas que tenho adquiri pela internete. E devo dizer que elas chegam bem pq compro no Rio, onde moro e, no máximo, chego até sampa. Aprendi com o tempo que, muitas das orquídeas que perdi, não foram só pelo meu cultivo amador, mas algumas já vieram contaminadas por doenças que, com seu desenvolvimento, acabaram consumindo as plantas. Conversando com um orquidófilo amigo, ele me falou que muitas das orquídeas colocadas a venda, trazem nos seus cruzamentos, vírus. E aí compramos sem saber. O orquidário que me trouxe mais perdas risquei do meu caderno (rs). Mas continuo fiel aos que mantém um bom padrão para as plantas. Tem uns 4 meses que não compro nada (a grana anda curta (rs), mas conservo ainda a listinha de alguns desejos. Beijos e mantenha acesa a chama do cultivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Maria Elizabeth? Que interessante, você levantou um ponto que eu já estava desconfiado. Tem alguns orquidários cujas plantas costumam morrer mais frequentemente, de fato.

      Que alegria saber que não está desanimada. Confesso que estou bem cansado, mas o apoio e carinho de amigos e leitores como você são fundamentais. Muito obrigado por ler e comentar este artigo, trazendo valiosas informações!

      Um grande beijo e tudo de bom!

      Excluir
  5. Olá meu amigo querido ...sabe ...eu tenho umas meninas que estão lindas ...são simples ... e sempre sigo a risca as suas orientações ... portanto ...por favor ...nunca desista hein ...não faz mal que vc não tenha novidades para nós passar ... tudo ...que vc nos ensina é de suma importância . Logo este calorão irá passar e elas estarão lindas novamente ...Bjk amore.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leila! Imagine, você sempre um amor de pessoa! Fico feliz em saber que tem aproveitado as dicas e que suas meninas estejam bem. Parabéns! Muito obrigado pelo carinho e apoio da sua mensagem, agradeço de coração!

      Beijos e tudo de bom!

      Excluir
  6. Nem quero pensar! Mudei-me há pouco mais de um mês, trocando de cidade e de casa para apartamento. Há lugar para minhas orquídeas: um belo terraço, com cerca de 50m2, mas açoitado pelo vento sul! Estou desanimada, pois sei as micro não resistirão e tenho quebrado a cabeça procurando uma solução para as demais, antes que o inverno chegue... Desesperançada, aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô, Alexia, nem me fale! Imagino como deve ser complicado uma mudança, ainda mais com tantas orquídeas. Torço para que suas meninas fiquem bem, principalmente as micro, que são bem temperamentais. Força e muito obrigado pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  7. Caro Sergio
    Espero que não desista...seus conhecimentos profundos ajudam muito a quem quer cultivar orquídeas.
    As fotos são espectaculares!
    Vc me pegou de surpresa num delicado momento parecido com o seu...só que meus conhecimentos são de iniciante.
    Gasto muito em plantas e fertilizantes mas parece que nada dá certo.
    Compro todo tipo de orquídeas ...de floricultura...supermercados e até as que vendem como mudas por ter perdido as flores e muitas vezes totalmente maltratadas....Justamente quando pensava em porque perco tantas plantas...se teria a ver a origem leio seu post muito triste.
    Por favor seja forte e não desista...seus conhecimentos são muito importantes e sua p@ágina é um colirio para nossos olhos especialmente nestes tempos de trevas...
    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Felisa? Imagine, bondade sua! Quem sou eu...

      Que pena saber que suas orquídeas também não estão bem. Eu concordo com você, quando a planta já vem debilitada, sua sobrevivência torna-se mais complicada. Mudas muito pequenas também sofrem mais.

      Mas fico muito agradecido pelo seu comentário e pelas palavras de apoio! Muito obrigado pelo carinho, de coração!

      Um grande abraço!

      Excluir
  8. ola querido quanto tempo!!!!sei que andei sumida...mas sempre lendo e curtindo seus post..cultivo na mesma condição,em apartamento e foi assim que te encontrei a 3 anos atrás,,,nw desisti nw,,se esta cansado dê uma pausa!!!como eu já te "disse" adoro a maneira que vc escreve e divide suas experiências....um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Midori! De fato, há quanto tempo! Que alegria ler seu depoimento e saber que tem persistido em seu cultivo no apartamento! Parabéns!

      Muito obrigado pela importante participação e pela mensagem de motivação. É muito importante para mim!

      Um grande abraço!

      Excluir
  9. Sergio,

    Sua postagem é triste, mas pelo menos fico feliz de saber que tenho os mesmos problemas que um orquidófilo tão competente e dedicado quanto você.

    Seguimos tentando.

    Um abraço,

    Pedro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pedro!

      Imagine, quem sou eu... Mas adorei ler seu comentário e saber que a postagem teve seu lado bom. Muito obrigado pela importante participação neste espaço!

      Um grande abraço!

      Excluir
  10. Oi amigo. Já cultivei orquídeas em apartamentos também, é quase impossível! E devo dizer que seu cultivo é de longe o melhor que já vi. Não desista! Sobre o declínio das plantas, eu acredito que o principal vilão seja a poluição do ar das grandes cidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Rodrigo? De fato, é um ambiente bem complicado para se cultivar orquídeas. Concordo plenamente com você, a poluição é tamanha que as folhas ficam cobertas de fuligem.

      Muito obrigado pelas palavras de apoio, são muito importantes para mim!

      Um grande abraço!

      Excluir
  11. Oi Sergio!
    Nunca desista das flores, você vai conseguir dar um jeito!
    Um abraço,
    Cláudia Franco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cláudia, tudo bem? Que alegria ler sua mensagem, muito obrigado pelo carinho e apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  12. Oi Sérgio tudo bem? Sei como é isso e olha que no meu caso e um tiquinho mais fácil pq tenho casa (mas não quintal), fica em um corredor que até pegal sol mas tem momentos que dá vontade de largar tudo pq elas não respondem. Imagino vc e sua varanda... Força e esperança pq a vida e simplesmente isso força para seguir em frente e esperança para tudo terminar bem. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzana! Pois é, chega um momento em que o trabalho é demasiado para resultados tão desanimadores. Mas fico muito contente lendo sua mensagem, muito obrigado pelo apoio! Desejo sucesso no seu cultivo, agradeço de coração pela visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  13. Querido amigo Sérgio,
    Tenho tido,ao ler seus posts, uma sensação de orgulho pois vejo em seus trabalhos quanta dedicação e energia você dispende no tratamento de suas orquídeas, criadas na varanda de um apto. Agora, permita-me falar sobre a historia da minha pequena Flora. Nascida prematura extrema, com 25 semanas incompletas, ela luta heroicamente para sobreviver a uma cirurgia sofrida aos 13 dias de vida, que lhe retirou 96% do instestino delgado. Graças à dedicação de médicos gastropediatras, Flora se alimenta via parenteral e assim deverá ser talvez pela vida toda. Hoje com apenas 10 meses,e ainda dentro de um hospital esse bebe nos brinda com um sorriso enorme todos os dias, em todos os momentos, alegrando a todos ao seu redor..Não está sendo fácil meu amigo, mas as lições que recebemos de nossas pequenas flores, sejam orquideas ou bebês que alimentamos e a quem dispendemos amor, carinho e atenção estão a nos pedir que não as abandonemos e nem as deixemos sós pois não sobreviverao sozinhas.
    Amigo Sérgio, não desista nunca do que você faz.Precisamos de seus conselhos e orientações.
    Grande abraço.
    Fim da Cardoso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, que coisa! Não sabia da história delicada da Flora, sinto muito... Mas que bom saber que ela está em boas mãos, recebendo todos os cuidados possíveis. É, de fato, uma grande lição de vida, muito obrigado por compartilhar este belíssimo exemplo de superação.

      Também agradeço pelo carinho e pelas palavras de apoio. Para mim, é sempre uma alegria recebê-la neste espaço!

      Um grande abraço e tudo de bom!

      Excluir
  14. Olá Sérgio! Seu desgabo é bastante compreensível! Mas veja meu caso, ao contrário de vc tenho espaço até demais, mas é impossível driblar a baixa umidade, o avassalador calor e a falta de chuvas no Nordeste do país. Perco muitas orquídeas principalmente no verão... Vc tem todo o direito de repensar o seu cultivo, a sua coleção, mas pense nos leitores, nos internautas, nas pessoas que (n'lagum momento) se inspiraram em vc para cultivar orquídeas ou qlq outra coisa nos mais infiéis lufares! Enfim, pense calmamente... carinhosamente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jalo, tudo bem? Nossa, vendo as orquídeas que você apresenta em seu blog, eu não poderia sonhar que também enfrenta problemas de cultivo. Que pena... Admiro muito sua persistência e sua sabedoria em contornar estes contratempos.

      Estou pensando com carinho, você levantou um ponto muito importante que é o carinho e o apoio dos leitores, assim como de amigos especiais, como você. Muito obrigado pelas palavras de sabedoria e pelo apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  15. Sérgio, desistir jamais!!! É muito importante para todos nós suas dicas e informações. Veja bem: morava em um apartamento em BH e nos mudamos pra uma casa em Lagoa Santa, justamente por causa das orquídeas. Imagina que tinha três vandas dependuradas no varal!!!! Mesmo com espaço , lá perdemos nossas Phalaenopsis que no apartamento viviam lindas e floridas. Dizem que ela não suporta ambientes abertos e se contamina muito fácil. Partimos pra outra! Arachinis, Vandas e Catleyas. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Suzana? Nossa, que interessante este sua trajetória com as orquídeas! Quem diria que as Phalaenopsis não iriam gostar do novo lar... Mas muito obrigado por compartilhar sua experiência conosco! Também agradeço imensamente pelo apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  16. Olá Sergio,
    Sou bióloga e estou desenvolvendo um projeto sobre germinação de sementes de orquídeas in vitro, porém estou tendo dificuldade em obter cápsulas/sementes para dar continuidade ao meu trabalho. Sei que essa não é a finalidade da sua página, mas gostaria de saber se você teria cápsulas de orquídea para vender? ou teria o contato de alguém que venda?

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jaqueline, tudo bem? Mas que pena, infelizmente, não tenho cápsulas de orquídeas formadas, no momento. Já tentei semear algumas, no passado, mas não obtive sucesso. Desejo sucesso para o seu projeto, muito obrigado pelo contato!

      Um grande abraço!

      Excluir
  17. Oi Sérgio, comprei minhas primeiras orquídeas há 2 semanas e descobri seu blog. Li ele inteiro. Meu ap não tem varanda, decidi deixar as orquídeas na janela da cozinha.
    Seu blog me deu confiança, conhecimento, inspiração.
    Por favor, continue tentando.
    Assim como eu, centenas de pessoas têm em você um exemplo a ser seguido, uma fonte. Você é a água que nos alimenta, não nos deixe morrer!
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jussara, tudo bem? Você não imagina minha alegria ao ler seu comentário. Fiquei emocionado, agradeço de coração pelas belíssimas palavras de apoio! Que bom saber que está começando sua coleção de orquídeas, parabéns! Muito obrigado pela visita e pela força, seja muito bem-vinda!

      Um grande abraço!

      Excluir