Como cultivar orquídeas na crise


Micro-orquídea Ornithophora radicans
Ornithophora radicans

Infelizmente, não é necessário escrever um tratado para constatarmos a pujança da crise na qual estamos mergulhados. Em todos os setores da vida cotidiana, notamos os efeitos devastadores desta tragédia econômica, fruto de um país paralisado. Aqui mesmo, no blog, observo nitidamente uma queda drástica nos rendimentos, que já eram reduzidos, e agora tornaram-se ridículos.

Mas vamos falar de coisas positivas. O que podemos fazer, em relação à nossa paixão pelas orquídeas, frente a este cenário? Muita coisa. Afinal, não é à toa que somos conhecidos como os loucos das orquídeas. Acredito até que este setor tenha sido menos atingido, embora eu não possa afirmar com propriedade, já que não as comercializo. Mas dou a seguir três dicas básicas que, acredito, possam ser úteis em situações como esta.

1. Querer menos orquídeas

Esta é uma dica que pode parecer óbvia e até mesmo irritante, mas é fato que as pessoas tornam-se mais felizes quando almejam possuir menos bens materiais. Com a chegada das tecnologias de compartilhamento, por exemplo, não é mais necessário ter para ser feliz. Neste contexto, ter 30 orquídeas a mais vai melhorar minha qualidade de vida em qual aspecto? O mais provável é que piore, já que terei menos dinheiro, mais trabalho e mais despesas para cuidar de uma coleção maior.

Existem estudos que mostram que a compra de um novo bem causa uma alegria que é bastante passageira. Como consumidor compulsivo sob controle, sei bem disso. Já comprei coisas que acabei doando, sem ao menos abrir a embalagem. Ao contrário, experiências causam sentimentos de felicidade que resistem ao tempo. Uma viagem, uma comemoração ou uma simples conversa com amigos, por exemplo, são bens intangíveis que causam um registro positivo e permanente em nossas memórias.

Já comentei aqui que meu sonho sempre foi lotar a varanda de orquídeas. Gostaria de ter 100 exemplares, pelo menos. Com o passar do tempo, vendo a trabalheira insana que é cuidar de 70 plantas, assistindo à morte de várias orquídeas ingratas, adquiridas a peso de ouro, acabei entendendo que este era um objetivo tolo. De cada uma das plantas que passaram por aqui, vivas ou mortas, tenho um registro fotográfico, que foi compartilhado, visto e apreciado por milhares de pessoas. Este carinho e reconhecimento, sim, enchem meu coração de alegria.

2. Trocar orquídeas


Aquela velha prática de trocar mudas de plantas com a vizinha continua sendo extremamente benéfica, tanto à nossa vida pessoal como financeira. Confesso que ganho muito mais orquídeas do que doo. Até porque minha coleção é pequena e raramente tenho mudas sobressalentes. Mas acho admirável que ainda haja pessoas generosas, amigos e familiares, que se dispõem a gastar um pouco de tempo e dinheiro apenas para presentear outra pessoa com uma orquídea. É uma lembrança que fica para sempre e perpassa a existência da própria planta.

Com o advento da tecnologia e da facilidade de interação que as redes sociais nos proporcionam, é cada vez mais fácil trocar orquídeas com pessoas de todos os lugares. Infelizmente, existem os riscos inerentes a esta atividade, já que muitas vezes não sabemos com quem estamos lidando. Dificilmente tomaríamos um calote de orquídeas da vizinha ou do cunhado.

Neste contexto, é particularmente interessante trocar mudas daquelas orquídeas que costumam soltar keikis, aquelas brotações laterais que são capazes de florescer mais rapidamente, quando comparadas às mudas oriundas de sementes. Dendrobium, Epidendrum e, eventualmente, Phalaenopsis, são exemplos de orquídeas que podem nos presentear com keikis.

3. Comprar orquídeas baratas


Durante a Era Vitoriana, possuir orquídeas era sinônimo de riqueza e exclusividade. Hoje, com as modernas técnicas de propagação, estas plantas especiais estão cada vez mais acessíveis. Já é possível encontrar orquídeas na feira e no supermercado. Ainda assim, existem aquelas espécies e variedades circunscritas a um seleto feudo. Cobiçá-las pode ser motivo de frustração.

Algumas orquídeas, no entanto, costumam ser vendidas a preços mais amigos. O Dendrobium loddigesii é um exemplo de orquídea que considero belíssima e que sempre vejo sendo comercializada por valores módicos. Várias micro-orquídeas, como a Ornithophora radicans, por possuírem flores pequenas e de menor apelo comercial, também podem ser encontradas por bons preços. A lista é imensa e vale a pena sair procurando por estas pequenas pechinchas orquidófilas.

Outro caso clássico é o dos híbridos mais populares, que estão na moda, e são produzidos aos borbotões. Procurando bem, já é possível encontrar mini Phalaenopsis das mais diferentes cores e padrões por valores camaradas. Híbridos de Miltoniopsis, orquídea popularmente conhecida como Miltonia colombiana, e as várias versões do mini Dendrobium Stardust, também são exemplos de plantas de grande apelo popular e de fácil acesso.

Por fim, existe o velho truque de comprar orquídeas fora da época de floração. Existem lojistas que reservam uma bancada para plantas já sem flores, vendidas com um bom desconto. No entanto, é sempre bom comparar os valores em relação à orquídea florida, já que nem sempre estas ofertas são vantajosas. Para quem tem paciência, comprar mudas de orquídeas que florescerão em um ou dois anos também pode ser uma opção econômica para adicionar bons exemplares à coleção.

26 comentários:

  1. Faltou uma quarta dica: um bom ansiolítico, em doses adequadas, para conseguirmos colocar em prática tuas três sugestões!!!! rsrsrs... Porque é difícil conter a compulsão de um orquidófilo!! Mas tentaremos, querido! Grande abraço, desculpe a brincadeira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alexia, bem lembrado! Eu sou suspeito para opinar, mas acho mais do que bem-vinda a ajuda de um 'tarja preta'! Adorei seu comentário, muito obrigado pela visita!

      Excluir
  2. Sérgio, em tempo de "vacas magras" é sempre bom ter dicas como estas que vc postou. Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Liza? Que bom saber que gostou das dicas! Imagine, eu que agradeço pelo carinho e apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Gostei muito do artigo e das dicas das especies de orquídeas mais baratas, até porque está chegando o dia das mães e eu vou comprar uma para ela na feira de flores que vai ter aqui na CEASA no Ceará.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kleberson! Com certeza, muito bem lembrado! Adorei a sua ideia, com certeza este é um excelente local para adquirir flores. Muito obrigado pela contribuição!

      Um grande abraço!

      Excluir
  4. Ótimo texto, vou seguir seus conselhos. Um abraço de uma fã sua aqui de Barão Geraldo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Solange, tudo bem? Que alegria saber disso, muito obrigado pela visita e pelo comentário! Tenho um carinho muito grande por Barão Geraldo, frequentei bastante este distrito devido à Unicamp e ao Síncrotron. Adorável local!

      Um grande abraço!

      Excluir
  5. Parabéns pela matéria. Aprendi que comprar depois da florada, é uma fase que não atraem mais os olharem cobiçosos dos comprados compulsivos, vamos fazer um investimento não tão dispendioso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom saber que gostou, Helio! Concordo plenamente, é uma ótima tática. Sua contribuição neste espaço é sempre muito bem-vinda, super obrigado pela visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  6. Bom dia Sérgio! Voce sabe que ganhei aquela orquídea pequenina com perfume de baunilha, quero saber se posso coloca ela no sol pela manhã, e de quando em quando devo água-lá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bom dia! Que legal, parabéns pelo presente! Adoro esta orquídea. O sol do início da manhã, bem fraquinho, é benéfico para as orquídeas. Nas horas mais quentes do dia, ele deve ser indireto ou filtrado por telas ou cortinas. A rega deve ocorrer somente após o substrato secar. Aqui na seção dicas de cultivo tem outros artigos que podem ser úteis. Muito obrigado pela participação!

      Um grande abraço!

      Excluir
  7. Ei Sérgio! Muito proveitosa essa leitura. Tive a oportunidade de visitar a Exposição Nacional de Orquídeas, que aconteceu em BH no último fim de semana. Fiquei triste ao perceber que o número de visitantes encolheu consideravelmente do ano passado para este. Vamos torcer para que esta crise não chegue até as flores que curtimos tanto. Grande abraço e mais uma vez obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Suzana? Fico feliz por saber que gostou do artigo! Mas que pena esta diminuição do público na Exposição de BH. Tomara, mesmo, que a crise não atinja este mercado, tão importante. Muito obrigado pela valiosa contribuição!

      Um grande abraço!

      Excluir
  8. Olá Sérgio...ótima temática, parabéns!
    No meu caso, reciclei "o incessante desejo por orquídeas"... tenho acessado diversos orquidários, comparado preços e reservado nomes, para compras futuras.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jalo, que bom que gostou! Eu acho excelente esta prática de pesquisar e fazer listas. Deste modo, conseguimos comprar de forma mais consciente. Parabéns e muito obrigado por compartilhar sua experiência conosco!

      Um grande abraço!

      Excluir
  9. É simplesmente complicado resistir à compulsão... acredito que seja efeito colateral da orquidoidice... eu comprei as minhas depois da floração na Holambelo por 10 pilas cada... fiz a festa... praticamente a metade morreu, mas agora tenho mais sensatez... Agradeço as dicas! Vou iniciar uma lista de prioridades que se encaixem no meu bolso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Flávia! É verdade, bastante complicado... Que pena, sinto muito. Eu gosto bastante de fazer listas de compras. Após algum tempo, ao revê-las, dou-me conta de que não preciso tanto de alguns itens.

      Imagine, eu que agradeço a você pela visita e pela importante participação!

      Um grande abraço!

      Excluir
  10. Sergio, como você está escrevendo bem meu amigo!
    Ler suas linhas até abrandou um pouco os efeitos da crise a que estamos submetidos...Me fez ficar bem! :))))

    Dicas preciosas, eu diria e dignas de serem compartilhadas com todos!
    Pena que meus vizinhos não costumam me presentear com orquídeas...kkkkkkkkk
    Seria maravilhoso poder fazer essa saudável troca, um deleite mesmo!
    Agora, a minha orquídea amarelinha está sem flor: creio que também está sentindo os efeitos da crise...hihihihihi
    Mas isso vai passar e ela florescerá!!!

    Adorei as dicas amigo! Todas perfeitas!!!
    Beijos e uma semana incrível, seja com crise ou sem ela! :))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Adriana? Imagine, você que é a gentileza em pessoa! Fico muito feliz por saber que gostou das dicas! Eu também confesso que nunca ganhei orquídeas dos vizinhos, o que é uma pena! Hehehe!

      Que bom, torço para que sua orquídea floresça em breve. Adorei sua visita, muito obrigado pelo carinho e apoio, sempre!

      Um grande beijo e uma excelente semana!

      Excluir
  11. amigo querido, estou igualzinha a você. Comecei enlouquecida pela quantidade e estou me freando e embora ainda sofra ao perder alguma, já não corro desesperada para comprar outras. A limpeza de final de ano nos armários me ajudou a desapegar também de muitas coisas sem uso. Minimalista, meu novo projeto. Estou estudando mais e tentando identificar qual espécie me dá mais paixão, para poder me dedicar.
    Amo suas orientações, suas filhotas e seu carinho.Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Lucia! Que alegria saber disso! Parabéns, fico muito feliz com a sua decisão. Acho que ficamos mais em paz quando temos menos coisas. Muito obrigado pelo importante depoimento, sua participação neste espaço é valiosa!

      Beijos e tudo de bom!

      Excluir
  12. Boa noite Sergio.Eu tenho um amigo aqui em Sorocaba que trabalha em uma area de descarte, o famoso lixão, e ele sempre me traz orquideas que sao descartadas, desde pequenas mudas como touceiras gigantes....esse final de semana ganhei dele uma touceira gigante de oncindiun , não sei qual mas ela ja tem alguns bons anos .E veio tambem uma touceira de dendrobium...eu economizo e ajudo a natureza kkk.Abraços, sou sua fã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Juliana, boa noite! Que bom saber disso, muita sorte a sua! Parabéns pela atitude de recuperar estas orquídeas descartadas! E que alegria saber que está gostando deste trabalho aqui no blog, muito obrigado pelo apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  13. Boa tarde Sergio! Muito bom seu artigo. Comecei minha coleção a alguns meses com o incentivo de minha mãe, que cultiva orquídeas a muito tempo, agora ela está um pouco debilidata devido a idade e pediu minha ajuda para ajudá-la no cultivo. Algumas eu trouce para casa pois estavam com problemas como fungos, cochonilhas, desidratadas, etc. e assim comecei a gostar do negócio e comprei algumas. Agora vejo que o ditado "Menos é Mais" vale muito pois, com uma diversidade muito grande de espécies o cultivo se torna trabalhoso e caro. Melhor dedicarmos a alguns exemplares de uma mesma especie que nos agrade mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Wagner, boa tarde! Tudo bem? Fico feliz por saber que gostou do artigo! Parabéns pela linda atitude de ajudar a cuidar das orquídeas da sua mãe. Lindo o seu depoimento, muito obrigado pela visita e pela valiosa participação! Um excelente cultivo para você e sua mãe!

      Um grande abraço!

      Excluir