Orquídea Cattleya bicolor - Primeira floração


Orquídea Cattleya bicolor
Cattleya bicolor

Esta belíssima orquídea Cattleya, de colorido único e exótico, tem um grande valor sentimental para mim. Eu a ganhei em dezembro de 2013, quando participei de uma confraternização de fim de ano da Sociedade Bandeirante de Orquídeas, a convite da sua presidente, a querida Leili Odete Campos Izumida. Na época, escrevi sobre a alegria de ganhar esta orquídea, descrita neste artigo.

Como a orquídea nunca havia florescido, e já portava sua primeira espata, fiquei todo ouriçado à espera das flores. Até consegui ver o início do que eu acreditava serem botões florais, no interior da espata, observada contra a luz. Pois o tempo passou, a espata da orquídea secou e minha esperança se esvaneceu. 

Desde então, esta Cattleya emitiu dois novos pseudobulbos, cada vez mais altos, que igualmente emitiram espatas, sem contudo produzir flores. Já estava conformado quando, em fevereiro deste ano, percebo que algo imenso estava crescendo dentro da malfadada espata. Desta vez, fiquei bem quietinho e não mostrei aqui, para não dar azar. Seria a floração inédita de uma Cattleya bicolor aqui no apartamento. Somente quando as flores se abriram completamente, pude respirar aliviado, livre para comemorar e apreciar a beleza rara desta orquídea. Nunca havia visto nada parecido.

A Cattleya bicolor é uma orquídea bifoliada, com longos e delgados pseudobulbos. A planta adulta pode atingir até um metro de altura. Meu exemplar ainda é bem menor. Trata-se de uma planta tipicamente brasileira, uma orquídea descrita em 1836 por John Lindley. É encontrada predominantemente nos estados do sudeste do país. 

O charme desta orquídea, na minha opinião, é o labelo púrpura em forma de língua de gato. Ele não possui lóbulos laterais, de modo que a coluna (o pequeno nariz branco da orquídea, ao centro, onde se localizam as estruturas reprodutoras) fica totalmente exposta, ao contrário do que ocorre com outras orquídeas do gênero Cattleya. De fato, parece que a flor está mostrando a língua.


Orquídea Cattleya bicolor
Cattleya bicolor

O cultivo da orquídea Cattleya bicolor segue o padrão da maioria das espécies do gênero. Aprecia alta luminosidade, porém sem sol direto. As raízes não podem ficar molhadas por muito tempo. Meu exemplar está sendo cultivado no mesmo vaso, desde que o ganhei. O material é de plástico e o substrato composto por pedaços de pinus, carvão vegetal e um pouco de fibra de coco. A adubação é química, do tipo NPK, com macro e micronutrientes.

Esta é uma orquídea que floresce tipicamente durante o verão, predominantemente no mês de março. Suas pétalas e sépalas podem exibir uma grande variação de cores, que vão desde o verde até o marrom acobreado, passando por vários padrões de estampas pintalgadas. A minha tem uma cor de cobre antigo, esverdeado, que contrasta belissimamente com o labelo magenta. É uma orquídea Cattleya de um colorido especial.

É curioso notar que, exatamente na semana em que publiquei uma entrevista com a Leili, esta orquídea resolva florescer, após anos de expectativa. À Leili e a todos da SBO, deixo meu muito obrigado por esta lembrança especial!

A seguir, deixo o vídeo do desabrochar de uma Cattleya labiata, parente igualmente bela e delicada, ilustre representante das orquídeas brasileiras do gênero Cattleya, conhecida como a Rainha do Nordeste.





22 comentários:

  1. Deslumbrante!! Sem mais palavras, ela é deslumbrante! Não a conhecia nem nunca havia visto nada parecido. Parece irreal. Um desenho, uma pintura. E que labelo, heim?! Parabéns pela paciente espera e por acreditar. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alexia! De fato, sempre vale a pena aguardar, quando o assunto são orquídeas! Fiquei encantado com a cor deste labelo, realmente. Que ótimo ler seu comentário, muito obrigado pela visita e apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Oi, Sergio. Imagino tua alegria pois é bem assim que me sinto com as minhas. O que aprendi com as orquídeas(elas são ótimas mestras se tivermos sensibilidade em perceber), é que existe um período de adaptação quanto a mudanças de ambientes(algumas nem se importam e nos surpreendem pela rapidez..rs). Mas as senhoras portadoras de espatas, mimadas e geniosas, precisam de um tempo e ele pode durar até anos. Assim que elas incorporam a melodia da nova casa passam a bailar de forma harmoniosa e bela ao som de:"em minha alma / te convidei pra dançar / a tua voz me acalmava / são dois pra lá / dois pra cá "...rs. Obrigada por partilhar teus momentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria Elizabeth, tudo bem? Que linda sua mensagem! É assim mesmo, concordo plenamente. Além destes fatores que você citou, tem também a maturidade da planta. A minha, acredito, era ainda muito nova para florescer, quando a ganhei.

      Muito obrigado pela visita e pela valiosa contribuição do seu comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Oi, Silvana, que bom saber disso! Eu também! Muito obrigado pela participação!

      Um grande abraço!

      Excluir
  4. Que bacana. Adoro a precisão e simplicidade dos teus textos Sergio. Tenho muitas cattleyas (sem id) com espatas florais secas e somente a pouco soube que elas podem florescer assim. Quem sabe em breve alguma me surpreende !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem? Imagine, bondade sua! Que bom que está gostando dos textos. De fato, algumas espécies e híbridos podem florescer a partir de espatas secas. Neste caso, da Cattleya bicolor, ela floresceu a partir de uma verde, nascida de um pseudobulbo recém-formado. Muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  5. Ei Sérgio! Que presente você ganhou, heim? Ver uma belezura dessas florescer é uma dádiva! Parabéns! E obrigada por dividir conosco essa maravilha. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzana! Pois é, foi um belíssimo presente e uma grata surpresa! Que bom que gostou. Imagine, eu que agradeço a você pelo carinho do comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  6. Sergio, não há palavras para descrever a beleza dessa orquídea (embora você o tenha feito magistralmente, como sempre). Poder ler o histórico dessa planta no seu apê é muito prazeroso. Parabenizo-o fortemente, também, pela fotografia, de uma beleza ímpar! E sugiro a você um post ou um quadro, no final do ano, ao melhor estilo "a mais bela orquídea do apê". Certamente essa Cattleya teria meu voto. Mais uma vez, parabéns! E obrigação por nos presentear com postagens maravilhosas, à altura de alguém que detém muito conhecimento científico e ama profundamente o que faz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Cristiano? Imagine, você sempre a gentileza em pessoa! Fico muito feliz por saber que gostou desta foto, já que admiro imensamente seu trabalho fotográfico. E achei excelente a sua ideia, vamos fazer sim! Você fará parte do júri!

      Muito obrigado pelo comentário, sempre agregando valor a este espaço! Sou grato por todo o apoio, sempre!

      Um grande abraço!

      Excluir
    2. Sergio, fico lisonjeado com a indicação para compor o júri. Se houver oportunidade de levar a ideia adiante, conte comigo. Grande abraço!

      Excluir
    3. Oi, Cristiano, que bom! Vamos fazer, sim, muito obrigado pela disposição!

      Um grande abraço!

      Excluir
  7. Nossa Sérgio, que coisa incrível!
    Realmente é muito exótica e eu arriscaria a dizer ( por favor, não se ofenda tá?) que esta orquídea deveria ser adotada pela banda de rock kiss!!rsrs
    Sim, a característica marcante dela é que realmente se parece como uma língua para fora! Isso é surreal!!!
    Uau amigo, adoro como explica como é a orquídea desde os seus primórdios e como cuidou dela com tanta cautela!!
    Amo muito tudo isso!!
    Beijos e uma especial semana!! :))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana! Hehehe, adorei a comparação! Parece, mesmo. Que alegria saber que gostou do texto e das explicações. Você sempre um amor de pessoa, acompanhando e apoiando este trabalho. Muito obrigado por tudo!

      Grande beijo e uma ótima semana!

      Excluir
  8. Acho que tranquilamente podemos chamá-la de "exuberante"... a forma e a cor de pétalas, sépalas e labelo são incríveis!
    Parabéns pela persistência! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jalo, tudo bem? Nada comparado às suas belíssimas orquídeas. Mas, de fato, esta me surpreendeu pelo colorido. Que bom que gostou, muito obrigado pelo apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  9. Parabéns! Linda, perfeita, não há palavras pra descrever tamanha perfeição. A cada dia mais estou inspirada e fascinada com esse mundo! que sensação maravilhosa contemplar a beleza de uma orquídea, é um sentimento sem palavras. Agradeço a Deus por ter me colocado nesse caminho, quero mais conhecimento, mais projetos e mais descobertas desse mundo fantástico!! Seu blog é fantástico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Dalvana? Amém, que felicidade saber que está gostando deste mundo das orquídeas! Imagine, bondade sua, muito obrigado pelo carinho e pelo apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  10. Não sei se é a ambientação da foto, mas as cores desta orquídea estão estonteantes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Luis Renato? De fato, a luz e o fundo negro influenciam no resultado. Que bom que gostou, muito obrigado pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir