Orquídea sapatinho - Presente especial


Orquídea Paphiopedilum Leeanum
Paphiopedilum Leeanum

Tudo bem, Pessoal? Temos falado tanto sobre generosidade e amizade entre os amantes de orquídeas, que não poderia deixar de contar esta história para vocês. A protagonista é esta simpática orquídea sapatinho, Paphiopedilum Leeanum. Trata-se de um híbrido primário, fruto do cruzamento entre Paphiopedilum insigne e Paphiopedilum spicerianum. Apesar de os pais serem plantas de origem asiática, seu descendente, Leeanum, adaptou-se muito bem ao Brasil e é bastante cultivado até mesmo por aqueles que desconhecem tratar-se de uma orquídea.

Pois bem, apaixonado que sou por este gênero de orquídea, tratei logo de encomendar alguns exemplares em um orquidário que comercializava plantas pela internet. Foi uma das minhas primeiras compras através deste meio eletrônico. Uma das plantas adquiridas era o Paphiopedilum Leeanum. A criatura chegou tão estropiada, com manchas de ferrugem, que não sobreviveu uma semana. Contactado, o orquidário lavou as mãos.

Indignado, estava eu comentando o caso em um fórum sobre orquídeas, quando recebo uma mensagem privada de uma das participantes. Esta pessoa, ao saber da minha perda, ofereceu-se para enviar uma muda saudável para mim. Fiquei bastante surpreso, nunca havia me ocorrido nada parecido. Uma pessoa de outro estado, que eu não conhecia pessoalmente, oferecendo-se para reparar um erro que não fora por ela cometido. Estaria eu sonhado? Ou em outro país?

Foi então que a orquidófila Aurélia T. Cruz, participante ativa daquele fórum, solicitou meu endereço e, em poucos dias, recebi uma encomenda na portaria do edifício. Ao abrir o pacote, deparei-me com, não uma, mas três orquídeas, impecavelmente embaladas. Já comprei bastante pela internet, mas nunca recebi plantas tão bonitas, saudáveis e cuidadosamente acondicionadas. Junto com elas, uma cartinha explicando-me sobre os cuidados de cada espécie. Fiquei sem palavras.

Como na época eu era um serial killer de orquídeas desavisadas, e percebendo que o sapatinho estava sofrendo nas minhas mãos, resolvi doá-lo à Tomoko Simizu, que de fato tem todos os dedos verdes. Tudo o que ela cultiva resplandece. E lá na casa dela, ele vive feliz até hoje, florescendo todos os anos, durante o outono. Embora atrasadíssimo, dedico este post à Aurélia, pelo belíssimo gesto, deixando meu muito obrigado por este presente especial!

22 comentários:

  1. Tenho uma história parecida... Gestos de delicadeza e generosidade que nos tocam profundamente.
    Belíssima a foto do sapatinho, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alexia, que legal! Concordo plenamente, que bom saber que ainda existem pessoas assim. Você é uma delas, sem dúvida! Muito obrigado pela visita e apoio, sempre!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Encontramos seres amorosos onde e quando menos esperamos. Lindo gesto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria Elizabeth, é verdade! E que alegria quando estes encontros acontecem, não? Muito obrigado pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Que linda história, adoro seu blog! Amo os Sapatinhos, mas minha mãe sempre dá um jeito de mudar de vazo e quase sumir com eles. Engraçado como as pessoas não consideram essa flor de tamanha beleza, simplesmente porque acham que não é orquídea. Povo elitizando até a beleza gratuita das flores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Sandra? Que alegria saber que está gostando do blog! Muito obrigado pelo carinho! De fato, esta orquídea não costuma ser muito valorizada. Mas eu a acho belíssima. Continuo na outra mensagem!

      Excluir
  4. Falando em Sapatinhos, qual a melhor maneira de cultivá-los. Aqui em casa estão plantados em substrato para orquídea, está certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, Sandra, esta é uma orquídea terrestre. Ela pode ser cultivada em vaso ou canteiro com terra, como uma planta de jardim. Mas também vai bem em substrato, sem problemas!

      Um grande abraço!

      Excluir
  5. Surpresas boas da vida. Muito bom encontrar pessoas assim em nossa jornada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, Mauricio, concordo com você! Que ótimo ler seu comentário, muito obrigado pela participação!

      Um grande abraço!

      Excluir
  6. Apesar de sua publicação se tratar de generosidade quero falar de medo. Eu tenho medo de adquirir certas espécies como Wandas e Sapatinhos, pois ainda não tenho a habilidade necessária para cuidar de tais delicadezas. Serial killer ainda é muito pouco pra mim. kkk. Pode até ser excesso de zelo, mas creio que eu tenha que aprender a lidar mais com as mais resistentes, como Dendrobiuns e Cattleyas, para depois me aventurar a essas gracinhas mais sensíveis. O que vc acha? Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Tenha certeza de que você não está sozinha! Eu também tenho muito receio de cultivar certas orquídeas. Vanda, por exemplo, eu já tentei diversas vezes e não consegui. Sapatinho também não vai bem aqui.

      Coincidentemente, a maior parte da minha coleção está concentrada em Cattleyas, híbridos e espécies. Também tenho bastante Dendrobium, mas eles florescem muito raramente.

      Portanto, não se preocupe! O que importa é sermos felizes com as meninas que se adaptam ao nosso ambiente! Muito obrigado pela visita e pela participação!

      Um grande abraço!

      Excluir
  7. E verdade Sergio existe pessoas que fazem a diferença neste mundo ainda hoje!!!! VC foi escolhido, o bom que que aprendemos e podemos passar a frente essa gentileza ne!!!! Linda historia e lindas orquídeas. bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eliane, com certeza! Fico muito feliz por saber que gostou da história! Bondade sua, muito obrigado pelo carinho da sua mensagem!

      Bjos e tudo de bom!

      Excluir
  8. Sergio, boa tarde!
    Quero somente expressar uma grande curiosidade. Mas acredito que não seja só minha! rsrs
    Você publicar uma foto do espaço onde ficam suas orquídeas! rsrs
    Abraço do tamanho da admiração que tenho por você!

    Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rose! Tudo bem? Ò, mas que alegria, muito obrigado pelo carinho do abraço! Saiu uma matéria no Quadro Verde, da Ananda Apple, onde ela mostra um pouco do espaço. Aqui vai o link:

      http://globotv.globo.com/rede-globo/bom-dia-sao-paulo/v/morador-de-sp-cultiva-mini-orquideas-na-varanda-do-apartamento/4279575/

      Também tem este artigo, com algumas fotos. No final do texto, há um vídeo com mais algumas tomadas da varanda.

      http://www.orquideasnoape.com.br/2013/11/como-cuidar-de-orquideas-em-apartamento.html

      Espero que goste! Muito obrigado pela visita e pelo interesse!

      Um grande abraço!


      Excluir
  9. Eita Sérgio! Eu é que devo agradecer, primeiro pela surpresa deste post e depois pela alegria de saber que esta orquídea transmite ótimas energias até hoje! Fico muito feliz em saber que ela continua florindo e trazendo alegrias. Obrigada pela linda lembrança. Grande abraço! Aurélia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô, Aurélia, que alegria receber sua visita! Todos os anos, na época do dia das mães, vou visitar a sua orquídea, que invariavelmente encontra-se florida.

      Imagine, eu que agradeço a você pela amizade, pelo carinho e pelo presente!

      Um grande abraço!

      Excluir
  10. Olá. Tenho uma orquídea dessas em casa. Mas eu moro em Portugal pelo que o clima é diferente. Ela esta bonita. Folha verdinhas. Só nao tem flor porque quando a comprei a flor partiu. Achei ela lindíssimas.
    Tenho também várias phalaenopsis. Mas a maioria nunca mais floresce. Ficam ali outras morrem. :( fico tanto triste com isso porque acho as orquidias lindas. Tenho também um chuva de ouro que nao tem flor mas esta rebentando. Tudo de bom para si.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Liliana, que ótimo! Em Portugal há uma grande variedade destas orquídeas, disponíveis no mercado. Aqui é mais difícil encontrá-las.

      A questão das flores, geralmente tem a ver com luminosidade. Caso você consiga fornecer mais luz às suas orquídeas, elas provavelmente irão florescer. A adubação também é importante.

      Muito obrigado pela visita, seja muito bem-vinda!

      Um grande abraço!

      Excluir
  11. Oi Sérgio! Fiquei feliz em saber q ainda tem pessoas generosa neste mundo, e fiquei triste por VC não ter sucesso com o sapatinho, no meu caso entre todas as minhas plantas os meus sapatinhos são os que mais multiplica e floresce muito tenho dezenas de mudas e tenho tbm do amarelo e pra mim é a planta mais fácil de cultivar sem nenhum cuidado, seria bom se todas as Orquídeas fosse tbm assim. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Edna, tudo bem? Pois é, uma pena este gênero de orquídea não se dar bem no meu local de cultivo. Parabéns, devem ser lindos os seus sapatinhos! Que bom saber que vão bem aí. Muito obrigado pela visita e por compartilhar sua experiência!

      Um grande abraço!

      Excluir