Dicas para cuidar das orquídeas no verão


Orquídea Potinara Burana Beauty 'Burana'
Potinara Burana Beauty 'Burana'

Infelizmente, tenho recebido vários relatos de pessoas consternadas com as perdas das orquídeas de suas coleções. De fato, com o calor saárico que tem assolado este verão, muitas plantas acabam não resistindo. A seguir, dou algumas orientações de como evitar ou ao menos amenizar este drama. Não sou dono da verdade, até porque costumo perder orquídeas nesta e em outras épocas do ano. Mas acredito que estas dicas de cultivo possam ser úteis para quem está começando a cuidar de orquídeas.

Embora não fiquem cobertas de suor, como nós, as orquídeas também perdem bastante água através de suas folhas. Esta hidratação precisa ser mantida, e está a cargo das raízes fazê-lo. Portanto, durante os meses mais quentes do verão, é imprescindível redobrar os cuidados com as regas e a umidade relativa do ar no ambiente de cultivo. Também é importante que o sistema radicular das orquídeas esteja saudável e bem desenvolvido.


Ainda é bastante presente o mito de que as orquídeas não podem ser regadas com muita frequência. Estas regras fixas de cultivo acabam prejudicando nossas plantas, em alguns casos. Quando o calor está excessivo, pode ser necessário regar até duas vezes por dia. Não há problema quanto a isso, desde que exista ventilação adequada para que o substrato seque até o fim do dia. O meio no qual as orquídeas estão afixadas determina a periodicidade de regas. Vandas, que possuem raízes aéreas, precisam ser regadas várias vezes ao dia. Orquídeas cultivadas em troncos, pedaços de madeira, leques ou cachepots precisam de mais regas do que aquelas cultivadas em vasos. Há substratos que secam rapidamente, como casca de pinus, e outros que retêm mais umidade, como o musgo sphagnum. Todas estas variáveis precisam ser levadas em consideração e a regra de ouro é regar apenas quando a orquídeas estiver seca.

Vários artifícios podem ser utilizados para não encharcar as orquídeas com uma rega muito abundante. Gotejadores automáticos, nebulizadores, borrifadores manuais, todos estes equipamentos facilitam a vida do cultivador de orquídeas durante o verão. Os irrigadores automáticos podem ser controlados por timer, ajustando-se a periodicidade da rega. Particularmente, eu não instalo estes sistemas pelo simples prazer de borrifar água nas orquídeas, no começo e no final do dia. É uma terapia.


De qualquer forma, é importante evitar molhar as folhas das orquídeas durante as horas mais quentes do dia, com o sol incidindo diretamente sobre as plantas. O melhor é reservar o início da manhã ou final da tarde para realizar as regas.

Outro meio de manter as orquídeas hidratadas, sem pesar a mão nas regas, é molhar o chão do ambiente de cultivo. Se ele for de terra ou pedrisco, melhor ainda. Em apartamentos, as bandejas umidificadoras ajudam bastante. Basta colocar um recipiente raso, com areia ou pedrisco e uma lâmina de água ao fundo, por baixo dos vasos. É importante tomar cuidado para não deixar a superfície da água exposta. Também é preciso evitar que a água entre em contato direto com o fundo dos vasos, o que acaba prejudicando as raízes das orquídeas. A água subirá por evaporação e alguma capilaridade, aumentando a umidade do entorno.

Nem todos podem se dar ao luxo de ter uma piscina, tanque de carpas ou fonte de água próximos às orquídeas. Eu, por exemplo, não posso. Mas são excelentes soluções para ajudar a manter a umidade relativa do ar no ambiente de cultivo. Além de ficarem bastante charmosas e decorativas, ajudam a manter as orquídeas frescas e hidratadas.


É importante lembrar que todas estas soluções não substituem aquela rega mais intensa, com mangueira, na banheira ou no box, debaixo da torneira, o que for. Somente com este fluxo constante de água, as impurezas e sais acumulados no substrato poderão ser removidos.

A pergunta mais frequente quanto ao cultivo de orquídeas é sobre a frequência das regas. Infelizmente, não há como estabelecer uma resposta padrão para esta questão. Tudo vai depender do clima de cada região, do tipo de vaso e do substrato. Mas a solução encontra-se na ponta do dedo (verde ou marrom). Todas as manhãs, dou uma vistoria básica nas orquídeas, colocando o dedo no substrato de alguns vasos, afundando levemente. Desta forma, percebo se elas precisam ou não de água. Apenas se o substrato estiver seco, rego as orquídeas. O peso do vaso também dá uma indicação da umidade que se encontra em seu interior. Quanto mais leve, mais seco o substrato estará. Com o tempo, vamos pegando prática nesta avaliação.

O mais importante aspecto do cultivo de orquídeas é não achar que devemos regar apenas uma vez por semana, com apenas um copinho de café. Ou colocar duas pedras de gelo, uma vez por semana. É necessário abolirmos as regras fixas e nos adaptarmos conforme as circunstâncias. Agora, no verão, é ainda mais importante ficarmos atentos a esta flexibilidade, que poderá salvar nossas orquídeas.

32 comentários:

  1. Verdade... já perdi várias plantas por medo de regas excessivas. Assim como já perdi outras, afogadas em litros de água! Teu texto é preciso e fundamental: bom senso, observação e critérios - no cultivo de orquídeas, assim como na vida. Parabéns pela clareza e objetividade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô, Alexia, que bom saber que gostou do texto! Sua opinião é muito importante para mim, fico honrado! Super obrigado pelo apoio do seu comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Sérgio querido amigo!
    Excelente texto e dicas. Tenho perdido várias plantas , em razão do escurecimento das folhas e "murchamento" de outras. Consegui recuperar algumas substituindo o substrato por apenas "carvão" como vi em um video. Realmente, em menos de 10 dias elas recuperaram o vigor e até nasceram folhas novas. Estou muito feliz por isso...é muito pesaroso vermos nossas plantas definhando e não podermos impedir as perdas. Com a intensidade desse verão devemos estar atentos...Obrigada pelas dicas e orientações.
    Grande abraço,
    Dinda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dinda! Que bom saber que está conseguindo recuperar suas orquídeas! Parabéns! E imagine, eu que agradeço a você pelo carinho da sua participação aqui neste espaço. É uma grande alegria tê-la conosco, muito obrigado!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Oi Sergio, tudo bem?
    Como sempre seus artigos são maravilhosos. A sua escrita simples parece falar pra gente. Isso é tão bom. Só quem ama as plantas sente isso. Estou em lua de mel com as minhas orquídeas, estão tão lindas mesmo sem flores. E suas dicas, como sempre, ajudando mais ainda para que elas cada vez mais fiquem belas.
    Obrigado pelo belo texto. Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Denis? Por aqui, tudo em ordem! Imagine, bondade sua! Fico muito feliz por saber que está gostando dos artigos. E mais ainda por suas orquídeas, parabéns pelo cultivo! Muito obrigado pelas palavras de apoio e incentivo!

      Um grande abraço!

      Excluir
  4. Oi Sérgio!! Td bem??
    Gostaria de uma ajuda sua... Não estou tendo êxito no cultivo de oncidium, elas não se desenvolvem, as raízes nascem, param de crescer e morrem e a planta não cresce. Já perdi uma por regar d+. Recentemente comprei uma shery baby, mas estou com medo de perdê-la. Será que é por conta da falta de humidade? Moro em apartamento tbm e no calor do RJ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anita, tudo bem? Por aqui, tudo certo! Que pena. De fato, o cultivo de Oncidium não é muito fácil, principalmente por causa das raízes, que são muito sensíveis ao excesso de rega. O ideal é que você use placas de madeira, pedaços de tronco, ou mesmo vasos bem ventilados, com casca de pinus e carvão vegetal. Desta forma, as regas podem ser mais frequentes e o substrato não fica encharcado, porque seca rápido.

      Um grande abraço!

      Excluir
    2. Eu uso pinus com carvão e as raízes ficam secas, molho de dois em dois dias, elas não morrem, mas tbm não desenvolvem. Faço adubação quinzenal, mas tá difícil... Recentemente ganhei uma miltonia e li em uma postagem sua que é de difícil cultivo. Fiquei tensa rsrs
      Obg por responder!!!
      Abraços.

      Excluir
    3. Imagine, de nada! De fato, tem orquídeas cujo cultivo não é dos mais tranquilos. Depende muito do clima da região de cultivo.

      Um grande abraço!

      Excluir
  5. Olá Sergio, grata por dividir conosco os seus conhecimentos, de forma clara e direta. Com certeza tirou muitas das minhas dúvidas e o texto chegou aqui na hora certa! Grata de coração.
    Abraço
    Déborah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Déborah, que alegria saber disso! Imagine, eu que agradeço a você pelo carinho da mensagem. Que bom saber que o texto lhe foi útil. Muito obrigado pelo apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  6. Sérgio, estou de mudança (casa para apartamento) e encontrei em seus conhecimentos um lugar para me ajudar ainda mais nesta missão. Parabéns pelo excelente trabalho. Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Andreia? Que legal, fico muito feliz por saber que os artigos estão sendo úteis neste período de transição! Imagine, muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  7. Ei Sérgio! Mais uma vez obrigada pelas preciosas dicas. Estou morando em casa, com um bom terreno para as orquídeas, que ficam ao ar livre. Mesmo assim, elas sofreram um bocado com a seca. Agora, depois de muita chuva, elas estão bem. Como tenho muitas vandas, aguava pela manhã e à tardinha. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzana! Que privilégio ter um espaço tão bom para o cultivo de orquídeas! Parabéns! Fico feliz por saber que gostou das dicas, sua opinião é sempre muito importante. Super obrigado pelo apoio, sempre!

      Um grande abraço!

      Excluir
  8. Excelentes dicas, Sergio. Também considero cuidar delas uma terapia, e quanto mais rara a floração, tanto melhor. Ótimo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Cristiano? Imagine, bondade sua! Que bom que gostou do post, fico feliz! De fato, este cuidado e esta espera pela floração dão um novo sentido às nossas vidas. Muito obrigado pelo comentário e pelo apoio, sempre!

      Um grande abraço!

      Excluir
  9. Sérgio, tudo bem? Em sua opinião, após a floração deve-se cortar a haste floral ou apenas corta se ela secar, e tb se optar pelo corte, este deve ser feito acima do terceiro nó? Tenho cerca de 10 phalaenopsis e uma delas tem uma haste gigantesca, qdo acabou a floração eu não cortei, surgiu desta haste uma outra q me presentou com flores lindas, mas agora ja acabou essa florada tb e estou na dúvida se deixo a haste ou não.
    Ela é tao grande, ja li q a planta gasta mta energia mantendo hastes após a floração, enfim, não sei se esta informação procede tb...e gostaria de sua opinião.
    Um abraço p vc e tudo de bom! Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi. Eliane, tudo bem? De fato, a floração consome bastante energia da planta. Quando ela está debilitada ou desidratada, costuma-se cortar a haste floral, bem rente à base, para que ela tenha tempo de se recuperar, emitindo novas folhas e raízes. A floração ocorrerá no próximo ano, a partir de uma haste nova.

      Se a orquídea estiver bem e a haste continuar verde, você pode manter e aguardar por uma possível nova floração. Depende muito do estado da planta.

      Um grande abraço, tudo de bom para você também!

      Excluir
  10. Perfeito Sérgio!
    Dicas muito concisas e importantes, aliás, elas revelam a sua experiência e a sua perspicácia com o cultivo das orquídeas!
    Parabéns...grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jalo! Imagine, você sempre a gentileza em pessoa! Que bom saber que gostou do texto, muito obrigado pela visita e pelo apoio, sempre!

      Um grande abraço!

      Excluir
  11. Olá Sérgio, adorei seu texto. Foi de grande valia. Estou começando a cuidar de orquídeas agora e achei q fosse uma rega em uma semana e por conta dias ela ta seca. Mas eu tenho uma planta aqui que eu ganhei da minha tia e ela se parece muito com uma bromélia ou coisa assim. Nao sei que espécie é. Folhas longas e verdes como de uma orquídea e sua floração é uma flor bem grande! Com três cores branca vermelha e laranja. Só sei que ela é tricolor, e assim que chegou achei que fosse uma flor comum e coloquei húmus e terra comum, ja tenho 2 anos com ela e ela nunca floriu. Mas como minha tia deixa a dela largada no canto sem água (mas com terra comum também) ela florir até 2vezes no ano! Acha que tenho que substituir por substrato e carvão? Soh tenho medo que ela morra, mas quero que ela dê flores! Se vc me passar seu e-mail eu mando foto dela.
    Desde já agradeço sua atenção e aguardo resposta!
    E amo suas fotos das orquideas do intagram!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Soraia, tudo bem? Imagine, bondade sua! Que alegria saber que gostou do texto e tem apreciado as fotos! Muito obrigado pelo apoio!

      Que interessante esta sua planta! Como ela está acostumada na terra, acho que é melhor deixá-la lá. Você pode colocar um pouco de casca de pinus por cima, para manter a umidade por mais tempo. A luminosidade e a adubação são fatores importantes para fazer uma planta florescer.

      Caso você possa enviar uma pequena mensagem através do formulário de contato, aqui do blog, eu retorno com meu e-mail pessoal. Assim, você poderá enviar a foto da planta.

      Um grande abraço!

      Excluir
  12. Bom dia! Tenho algumas orquídeas. ..Rego 1 ou w vezes por dia confirme o clima ...o que acontece é que elas estão fazendo greve de florada. ..faço adubação de 15 em 15 duas confirme o rótulo. ..fico muito feliz quando uma delas solta o pendão. ..coisa rara...fico horas namorando elas...bjs e até outra postagem sua...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eliana, bom dia! Que pena. Experimente colocá-las em um local com um pouco mais de luminosidade, sem sol direto. A luz ajuda na floração.

      Que ótimo receber sua visita, muito obrigado!

      Bjos e até mais!

      Excluir
  13. Olá Sérgio! Obrigado pelos textos, estão me ajufando muito. Resido em Porto Alegre, gostaria que me indicasse algumas espécies de fácil cultivo. Estou amando minhas lindas!! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzi, tudo bem? Fico muito feliz por saber que está gostando dos textos! O Rio Grande do Sul é riquíssimo em orquídeas, principalmente micro-orquídeas. Além delas, você pode cultivar aquelas que apreciam clima frio, como Cymbidium, Dendrobium. Tem uma grande variedade de Sophronitis, Cattleya.

      Um grande abraço!

      Excluir
  14. OLA SERGIO ... SEU TEXTO É IMPORTANTÍSSIMO ...SUAS OBSERVAÇÕES NOS ENSINAM MUITO ...PRESTAREI MAIS ATENÇÃO C/AS MINHAS MENINAS ...AGRADECIDA ...BJK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Leila! Fico feliz! Imagine, eu que agradeço a você pelo apoio da sua visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  15. Lembro que assim que comecei levar a sério o cultivo (depois de assassinar algumas...rs), passei a preparar o ambiente da varanda separando as orquideas por afinidades. E a descoberta das bandejas umidificadoras se fez ao descobrir seu blog em minhas pesquisas. Devo confessar que adorei e as utilizo até hoje. Gosto também dos borrifos tentando imitar o orvalho da manhã. Minha mini varanda de orquideas me proporciona um enorme prazer. Acaricia minha alma e me deixa plena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria Elizabeth, que linda mensagem! E que alegria saber que o blog lhe foi útil! Deve ser um pedaço do paraíso sua varanda, parabéns!

      Que ótimo ler seu depoimento, muito obrigado pela visita!

      Um grande abraço!

      Excluir