Como cultivar orquídeas em vasos


Orquídea Sophrolaeliocattleya Golden Acclaim 'Richella'
Sophrolaeliocattleya Golden Acclaim 'Richella'

Este título pode parecer redundante, em um primeiro momento, pois estamos acostumados a cultivar plantas em vasos. Mas a verdade é que a grande maioria das orquídeas é epífita, o que significa que elas vivem sobre outras plantas, no caso, árvores. Neste contexto, os orquidófilos tentam encontrar meios de cultivar suas orquídeas da maneira mais próxima à situação em que se encontram na natureza.

É quase infinita a quantidade de materiais usados para dar suporte às raízes das orquídeas. Temos pedaços de madeira, cascas de árvores, placas de fibra de coco, além do tradicional xaxim, cuja extração e comercialização encontram-se atualmente proibidas. Isto para ficar nos meios mais convencionais. Alternativamente, há quem cultive orquídeas em pedaços de ossos, sabugo de milho, cabo de vassoura, tábua de carne. O céu é o limite. Há também o caso das orquídeas que não necessitam de substrato algum, como as Vandas.

Sendo assim, por que cultivamos orquídeas em vasos? Respondendo de maneira bem direta, para facilitar nossas vidas. O cultivo fora do vaso requer uma umidade ideal no ambiente, acima de 60%, e regas diárias. Com o tempo muito quente e seco, podem ser necessárias borrifadas de água várias vezes ao dia. A função do vaso e do substrato, material que preenche o vaso, é de reter a umidade em torno das raízes por mais tempo. Desta forma, precisamos regar com menos frequência. Esta vantagem pode se tornar prejudicial caso a umidade seja excessiva. Neste caso, o remédio torna-se veneno e as raízes apodrecem.


Infelizmente, não há uma regra fixa quanto ao tipo de vaso e substrato a serem utilizados. Cada orquídea terá suas necessidades específicas, assim como cada ambiente de cultivo irá requerer materiais diferentes. O importante é saber o que retém mais ou menos umidade, e ir ajustando as combinações de acordo com nossas orquídeas.

Para exemplificar o processo, vamos partir de um extremo. A combinação vaso de plástico e musgo sphagnum puro é uma das que mais retém umidade. É ideal para varandas de apartamento em andares altos, minha condição de cultivo, onde há muito sol e vento. Se, uma semana após a rega, o substrato ainda estiver úmido, é sinal de que a combinação não está apropriada. Neste caso, podemos adicionar um material ao sphagnum, para torná-lo mais aerado. Podem ser misturados pedaços de isopor ou casca de pinus. Desta forma, o substrato secará mais rápido.

Caso o ambiente de cultivo seja mais úmido, podemos cultivar em uma mistura de casca de pinus, carvão vegetal e fibra de coco. Este é um substrato clássico para o cultivo de orquídeas, bastante utilizado. Caso observemos que ele demora para secar, podemos substituir o vaso de plástico por vaso de barro. Sua porosidade confere maior aeração ao substrato, permitindo que seque mais rápido. Há ainda os vasos de barro com furos nas laterais, que otimizam esta ventilação nas raízes.

No extremo oposto, em situações em que a umidade ambiente é alta e as regas frequentes, podem ser usados materiais como a brita pura. Alguns orquidófilos utilizam este substrato com bastante sucesso. Entre as vantagens, está o fato de que ele não irá se decompor, demandando menos replantes.


Em todas estas combinações, é sempre importante colocar uma camada de dreno no fundo do vaso. Este material, que pode ser isopor, brita ou argila expandida, tem a função de impedir que a água se acumule e prejudique o desenvolvimento das raízes das orquídeas. Por esta mesma razão, não é aconselhável manter aquele pratinho acumulando água debaixo do vaso. Por outro lado, se este pratinho contiver areia ou cascalho, com uma lâmina de água ao fundo, ajudará a elevar a umidade em ambientes muito secos. Eu uso uma bandeja com argila expandida e um filme de água no fundo, sobre a qual disponho todos os vasos.

Dosando e combinando estes materiais, observando as respostas das orquídeas, é possível chegar a um esquema ideal para cada situação. A beleza do fato de nos tornarmos orquidófilos é que estamos em constante aprendizagem, de modo que cada cultivador se torna um pouco pesquisador destas plantas especiais. Para ilustrar este artigo, trouxe a sempre dourada Sophrolaeliocattleya Golden Acclaim 'Richella'.


Video: Onde cultivo as Orquídeas no Apê

Pequeno tour pela sacada onde são cultivadas as orquídeas publicadas no blog. O orquidário vertical está em uma varanda que mede 3 m x 50 cm e é basicamente composto por três prateleiras em cada lateral das janelas centrais.


14 comentários:

  1. Rá! Sempre um desafio! Nas tuas palavras, tudo se torna simples e fácil!! Sempre útil, didático e esclarecedor! Um abraço…

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alexia! Pois é, eu ainda peno bastante para acertar essas condições! Mas que bom que gostou do artigo, muito obrigado pelas palavras de apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Olá Sérgio….realmente esta pergunta de se cultivar em vaso acaba sendo “esquecida”..diriam os desavisados: – ora, e onde mais poderíamos cultivar orquídeas? Aí vc nos mostra, simplesmente, que pode-se cultivar orquídeas em diversos espaços e de “n’ maneiras… Mas tudo vai requerer uma atenção especial!
    Obrigado pelas informações! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jalo! Perfeita a sua colocação, adorei! É exatamente este o conceito que quis passar, muito obrigado pela valiosa contribuição!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Pois é Sérgio, nunca me imaginei cultivando orquídeas, agora sou uma pesquisadora, por causa de um simples vasinho que tenho, cheio de brotos que não florescem e da descoberta de seu site.
    Agora mais do que nunca, estou disposta a fazer minha orquídea dar flor. Observo a luminosidade de meu apartamento, a temperatura da noite, mudo o vasinho de lugar, converso com ela, verifico a umidade da terra, arrumo os brotos mais secos e enrugados, pois quando menos espero aparecem com as pontinhas bem verdinhas e brilhosas, e por aí vai. Estou atenta, qualquer mudança te aviso. Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cíntia, tudo bem? Que alegria ler seu depoimento, fico muito feliz! Muito obrigado por compartilhar suas experiências, torço para que sua orquídea a recompense com belas florações, muito em breve!

      Um grande abraço!

      Excluir
  4. roberta cirqueira15 de maio de 2015 20:39

    ola depois das suas orientações, tirei do sol na sacada, cultivo dentro no apartamento duas suspensas amarradas em madeira com um filete de xaxim, tenho que rega-las mais vezes, mas ficou bonito grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Roberta!

      Que legal, ótima notícia! Torço para que elas fiquem bem e floresçam em breve. Muito obrigado por compartilhar sua experiência de cultivo!

      Um grande abraço!

      Excluir
  5. oi sergio sempre visito sua pagina,gosto muito tem me ajuda aprender como cuidar das minhas orquídeas,tenho poucas mas amo cada uma dela,cuido com carrinho e fico muito triste quando alguma delas morre, tenho muitas duvidas mas sei que com tempo vou conseguir aprender. preciso de ajuda tenho uma coelogyne lawrenceana que depois que começou nascer novos brotos os bolbos ficaram murchos as folhas estão bem, não sei o que fazer por favor me ajude. desde já obrigado. , ,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eliane, tudo bem? Fico muito feliz por saber que está gostando do blog! Os pseudobulbos mais antigos podem murchar e até perder as folhas, é um processo normal. Se forem os brotos novos, pode ser que a planta esteja desidratada. Isto pode ocorrer por falta ou excesso de água. Para ter certeza, você pode tirar a orquídea do vaso e checar o estado das raízes. Boa sorte e muito obrigado pela visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  6. Ola!
    acabei de ganhar uma orquídea no vaso plástico ,ela é roxinha , não sei cuidar ,tenho lido sobre tal .
    mas tenho duvidas do adubo para mudar de vaso, lê também que é bom cultivar sobre madeiras , moro em apartamento no 1º andar , me oriente por favor , pois amei o presente e não quero deixa-lá morrer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Circleide, tudo bem? Parabéns pela nova orquídea. O primeiro passo é saber o nome dela. Assim, você poderá pesquisar as condições de cultivo que ela mais aprecia. A princípio, pode deixá-la onde está, enquanto estiver florida. Tome apenas cuidado para não deixá-la sob sol direto, encharcada ou sob correntes fortes de vento. Na seção dicas de cultivo, aqui no blog, há bastante informação que pode ser útil. Muito obrigado pela visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  7. Elizete Rosinski15 de maio de 2015 20:40

    Estou fissurada por orquídeas! Adorei as dicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elizete, tudo bem? Que bom saber disso, fico contente! Muito obrigado pela visita e pelo apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir