Como mudar a orquídea de vaso


Mini-orquídea Laelia alaorii
Laelia alaorii

Recentemente, um seguidor do Instagram perguntou-me como mudar uma orquídea de vaso. A princípio, achei que a resposta seria simples demais, algo do tipo 'tirar de um e colocar em outro'. Depois, refletindo com calma em cada detalhe do processo, ocorreu-me que uma explicação decente talvez fosse bem mais complexa. Por isso, decidi escrever este artigo. Mais importante do que como mudar a orquídea de vaso, as questões às quais devemos nos atentar são quando e por que fazer esta mudança.

Por que perturbar a orquídea


No início, eu tinha este impulso de ficar trocando a orquídea de vaso e substrato a todo momento, sempre achando que poderia melhorar seu cultivo. O fato é que, a cada perturbação deste porte, as raízes são danificadas, a orquídea fica estressada e a floração seguinte é comprometida. Portanto, a primeira regra é que devemos intervir apenas quando há um forte motivo para tal.

Neste sentido, o renomado orquidófilo Denitiro Watanabe, autor de vários livros sobre o cultivo de orquídeas e um dos entrevistados deste blog, afirma que uma orquídea somente dará uma boa floração após estar completamente aclimatada ao novo vaso. Segundo ele, este processo ocorre aproximadamente 4 anos após o replantio. Portanto, quanto menos perturbarmos as orquídeas, mais e melhores flores teremos.

Quando replantar uma orquídea


Como nada em orquidofilia é definitivo, há opiniões diferentes sobre o mesmo assunto. Segundo o especialista Antonio Yoshio Sano, outro de nossos ilustres entrevistados, a maioria dos iniciantes resolve replantar a orquídea apenas quando percebe que ela está com algum problema. Neste momento, no entanto, a situação já é crítica demais. O ideal, segundo este orquidófilo, é que o cultivador se antecipe ao decaimento da planta, ocasionado pela deterioração do substrato, e o troque antecipadamente, a cada um ano e meio, aproximadamente.

Um outro parâmetro que pode nos ajudar a decidir quando devemos mudar uma orquídea de vaso é o fator espacial. No caso das orquídeas de crescimento chamado simpodial (aquelas que emitem um pseudobulbo à frente do outro, 'caminhando' pelo vaso), chega um momento em que elas começam a querer sair do recipiente, como ilustrado na foto acima. Além da questão estética, as raízes que começam a se desenvolver para fora do vaso, completamente aéreas, podem se ressecar e morrer, por falta de umidade. Outro problema é que elas se adaptam ao modo de vida aéreo e, quando voltam a ser enterradas no substrato, geralmente morrem por não estarem mais adequadas àquela condição.

Outra informação importante para decidirmos o melhor momento de replantar nossas orquídeas é a fase de seu desenvolvimento. O ideal é esperarmos que elas comecem a emitir novas raízes e novos brotos. Desta forma, a recuperação será mais rápida após o transplante. Na maioria dos casos, estas novas brotações costumam ocorrer durante a primavera e o verão, nos meses mais quentes do ano. No frio, época em que várias orquídeas estão em dormência, é bom evitar mudá-las de vaso.

Por fim, sempre há aquelas situações catastróficas nas quais não temos escolha. Quedas e infestações por pragas são eventos que nos levam a precisar trocar o vaso das orquídeas na correria.

Como fazer a mudança da orquídea


Neste procedimento, talvez a maior dificuldade seja desprender as raízes da orquídea, que se aderem fortemente ao substrato e às laterais internas do vaso. A dica é deixar o vaso sob água corrente, por alguns minutos. Também vale submergi-lo em um balde d'água. Desta forma, as raízes tornam-se mais maleáveis e desprendem-se com mais facilidade.

É importante limpar bem a orquídea, removendo todo o substrato antigo. Também é preciso podar as raízes, removendo aquelas que estejam mortas. Caso haja pseudobulbos muito antigos, sem folhas e ressecados, pode ser uma boa hora para removê-los. Ao invés de descartá-los, pode-se tentar fazer novas mudas a partir destes backbulbs.

Na hora de escolher a nova casa da orquídea, é bom evitar a tentação de plantá-la em um vaso grande demais. Nestes casos, devido à grande quantidade de substrato, a secagem é mais lenta, o que pode levar ao apodrecimento das raízes, que ficam úmidas por muito tempo.

Após o replante, é interessante aplicar um enraizador à orquídea, o que ajudará na sua recuperação. Também é bom evitar adubar, até que as novas raízes cresçam e a planta se estabilize. O local da orquídea replantada deve ser um pouco mais sombreado, de modo a evitar sua desidratação.





48 comentários:

  1. Oi Sérgio adorei seu artigo. Eu raramente troco as minhas de vaso. Mesmo que a raízes estejam grandes e saindo do vaso. Se a planta tá feliz e florindo, mexer p que? Será que está errado? Sempre achei que é uma planta que gosta de estar confinada e receber ar nas raízes e sempre tomo cuidado p não deixar ressecar as raízes borrifando-as com água. Tá errado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Andrea, que bom que gostou! Não está errada, de maneira alguma. O vaso e o substrato servem para proporcionar umidade às raízes, coisa que ela recebe normalmente na natureza.

      Caso você consiga, no seu ambiente de cultivo, mantê-las vivas e saudáveis fora do vaso, sem problema. Mas se for assim, teoricamente, você não precisa do vaso. Talvez o mais recomendado sejam os troncos de árvore.

      Na maioria dos ambientes artificiais de cultivo, é preciso manter as raízes junto ao substrato para podermos cultivar as orquídeas em vaso.

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Cada vez que mudo de vaso uma orquídea, quem se estressa sou eu! Fico temerosa de estragar a planta, de quebrar todas as raízes, fico insegura pelo tipo de substrato, a quantidade, o tamanho do vaso........ socorro!!! Acabo postergando ao máximo esse replantio. Vc e a Carol fazem esse ato parecer uma brincadeira de criança!! Tentarei... Obrigada por acalmar meus nervos!! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alexia! Eu também tive bastante medo, no começo. E já estraguei muita planta tentando mudá-la de vaso. Mas vamos pegando o jeito. Desejo boa sorte e tranquilidade nas próximas tentativas!

      Imagine, eu que agradeço a você por ler e comentar o artigo, sempre apoiando este trabalho!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Ótimo artigo. Me tire uma dúvida: se as orquídeas levam 4 anos pra estarem ambientadas, como trocar o substrato a cada 1 ano e meio? Não faz sentido. Troquei os vasos de 400 orquídeas que comprei ano passado e nenhuma floresceu (imagina meu desânimo), estso todas com brotos e raízes novas, e teoricamente eu teria q trocar de vaso daqui 6 meses. HELP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Helton, que ótimo saber que gostou do artigo! Você tem razão. Como mencionei no artigo, diferentes orquidófilos dão recomendações distintas sobre o mesmo assunto. Cabe a cada um decidir o que é melhor fazer. Eu troco quando a planta está saindo do vaso, independentemente do tempo. Acho difícil manter a orquídea no mesmo vaso por 4 anos, sem que ela fique sem espaço. Mas vai de cada um!

      No seu caso, eu acho que a ausência de floração se deve ao replante. Eu deixaria como está, até porque já estão aclimatadas e irão florescer em breve.

      Um grande abraço!

      Excluir
  4. Tenho uma cattleya hibrida alba q se retorceu toda no vaso... mas como eu queria q ela se transforma-se em uma touceira não replantei, rrssss... tadinha agora nem dá mais pra mexer de tão torta q ela ficou, mas dá belas flores todo ano. Ano passado deu 3 flores de uma vez. Então deixo ela assim mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Debora! Pois é, ficamos sempre em um dilema quando se trata de replantar ou não... Concordo com você, se quisermos ter grandes touceiras, o melhor é não mexer. Parabéns pelas florações e muito obrigado pelo depoimento, que só vem a enriquecer o assunto!

      Um grande abraço!

      Excluir
  5. Estou com a maior duvida com a minha Miltonia. Comprei há 1 ano numa exposição e estava linda com 5 flores. Ha 3 meses atras as folhas, uma a uma começaram a amarelar. Fui pesquisar e vi que deveria ser excesso de luz. Mudei de lugar e mais uma folha amarelou. Disseram que era substrato muito velho. Transplantei e vi que as raizes estavam muito umidas e marrons, num bolo de esfagno, e não tinha outro substrato. Lavei, coloquei canela e deixei 24 hs arejando e plantei novamente num vaso maiorzinho, só com esfagno e aprendi que não poderia deixar encharcado. Por dias ficou bem, mas agora esta amarelando outra folha...não queria perde-la...será que errei em algum procedimento? Deveria colocar no mesmo vaso em que comprei (tipo de violeta africana) em vez do maior em que replantei? Peço orientação pois é a minha 1a Miltonia e gostaria de ve-la florir...e agradeço a sua antenção,
    Diva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Diva, que pena. Eu colocaria a Miltonia de volta no vaso menor. Desta forma, o substrato secará mais rapidamente. Você está certa, deve-se regar novamente apenas quando o sphagnum estiver seco.

      Como ela está estressada, o melhor é manter longe do sol, em local mais sombreado e com boa ventilação. Não se preocupe muito com as folhas, neste momento o importante é que nasçam novas raízes e brotos. Você pode aplicar um enraizador para ajudar na recuperação.

      Um grande abraço!

      Excluir
    2. QUE ÓTIMA EXPLANAÇÃO POIS SERVIU PARA MIM NO CASO DE UMA MINI CATTLEYA CORAL , GRATIDÃO SEMPRE.

      Excluir
    3. Que bom, Mariza! Fico feliz! Imagine, eu que agradeço pela participação!

      Um grande abraço!

      Excluir
  6. Ângelo Marcos Oliveira28 de agosto de 2014 00:07

    Boa noite, Sergio!
    Ontem mesmo mudei minha arachnis de vaso, só o fiz por que ela estava numa garrafa pet com um substrato que dava dó. As folhas novas até que estavam bonitas, mas percebi que as raízes não estavam indo por esse caminho. Infelizmente onde resido não acho substrato especial para orquídeas, o jeito é me virar com o que tenho. Já pensei até em desisistir das orquídeas por esse motivo, penso que é melhor do que vê-las morrer em minhas mãos.
    A propósito, muito bom seu artigo, prático e bem explicado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ângelo, boa noite! Tudo bem? Imagine, não desista delas! Normalmente, quando há exposições de orquídeas, você encontra bons substratos à venda. Também pode comprar pela internet. Neste caso, é bom ter cuidado e verificar a idoneidade do vendedor. Mas não desanime!

      Fico feliz por saber que gostou do artigo, muito obrigado pela visita e pelo apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  7. Ei Sérgio!
    Bom dia!
    Obrigada pelo artigo que me ajudou muito. Já coloquei o enraizador nas Walkerianas e nas catléias, que também mudei de vaso, por estarem apertadas demais num só. Só teve um probleminha: como não sabia (marinheira de primeira viagem), antes do enraizador, coloquei adubo foliar nelas. Será que tem problema? Para imediatamente de colocar? No rótulo do produto que comprei (enraizador) falar pra aplicar o produto durante 6 semanas. Achei demais, né não? Obrigada mais uma vez pela atenção e parabéns pelo artigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzana, bom dia!

      Fico feliz por saber que o artigo foi útil! Imagine, de nada!

      Acho que não tem problema quanto ao adubo. Apenas a planta não irá absorvê-lo muito bem, nesta fase inicial. Também acho 6 semanas bastante tempo. Acho que após umas quatro aplicações, você já vê os resultados.

      Imagine, eu que agradeço pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  8. Olá Sérgio. Uma excelente postagem e de um teor de importância incrível; eu sempre penso e tenho problemas qd preciso replantar uma orquídea: é o vaso (novo); é retirar do antigo (cm, ela irá ter prejuízos)... enfim...farei cortes? São mt dúvidas!!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jalo! É verdade, são muitas dúvidas! Eu também fico super preocupado, mas no fim as coisas vão se ajeitando.

      Que bom que gostou da postagem, muito obrigado por ler e comentar! Sua opinião é sempre muito importante para mim!

      Um grande abraço!

      Excluir
  9. Prezado Sérgio, belo artigo.
    O assunto é muito importante e está muito bem escrito e embasado. O interesse dos colegas na página pode confirmar isto. Gostaria de partilha algumas experiências.
    Eu, por conta da importância da preservação das raízes das orquídeas e, em busca de um substrato diferente do xaxim, cultivo quase todas as minhas plantas em brita e em vasos plásticos, há mais de dez anos.
    Esse substrato me permite replantar mudas jovens uma vez por ano sem problemas de desenvolvimento. Plantas adultas só são replantadas por questão de espaço. Inclusive, não tenho receio de trocar de vasos plantas com espata ou com botões dentro das espatas.
    Minha época preferida é quando a planta está emitindo raízes. Algumas vezes (por questão do tamanho do vaso) replanto durante a brotação. Sempre evito replantar em períodos de repouso. Não que isso interfira no replante de brita para brita, mas respeito o descanso da planta.
    O replante na emissão das raízes acelera um processo pouco percebido pelos cultivadores: que a planta se reequilibra no novo vaso. A prova disso é que, se “arrumarmos” os bulbos e folhas (faço isso com arame recoberto), a planta manterá essas novas posições assim que as raízes se firmarem nas laterais. E o equilíbrio rápido é essencial para o desenvolvimento: quanto menos esforço despendido na emissão (e fixação) das raízes, mais energia sobra para crescimento e floração.
    Outro procedimento que considero muito importante (e que é bastante divulgado) é regar após o replante. Antes eu esperava alguns dias para que houvesse a cicatrização de possíveis lesões nas raízes. Porém o substrato seco vai naturalmente absorver a umidade das raízes, aumentando a possibilidade de estresse e desidratação.
    Se as ferramentas de replante e de rega, o vaso e o substrato estiverem realmente esterilizados, não vejo como alguma doença entrar nas raízes.
    Em tempo, gostei muito da sua orientação de molhar as raízes (ou deixá-las de molho) para facilitar que desgrudem do vaso. Sensacional. Vou experimentar. Gostei também do lembrete sobre as raízes aéreas. Às vezes eu esqueço-me e as cubro. Mesmo com a brita, o ideal é que elas fiquem por cima do substrato.
    Xará, meus parabéns mais uma vez. Gosto demais dos seus artigos e gostaria muito de assistir uma aula sua sobre cultivo em apartamentos. Avise-me por favor quando for dar uma, ok?
    E parabéns pelos 5.000 seguidores. Sensacional!!!
    Abraços.
    Sérgio Leite
    SOCAN – Sociedade Orquidófila Cantareira
    São Paulo/SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio, tudo bem? Peço desculpas pela demora em responder! Gostaria de agradecer imensamente pela sua valiosa contribuição a este tema tão importante. Não sabia que cultivava em brita, admiro bastante este tipo de cultivo e ainda vou experimentá-lo!

      Aprendi bastante com a sua mensagem, para mim é uma honra poder contar com a ajuda e apoio de um experiente orquidófilo como você! Mas imagine, quem sou eu para dar aula! Ainda estou aprendendo.

      Muito obrigado por tudo e um grande abraço!

      Excluir
  10. Você cada dia melhor,abraços amigão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nina! Que grata surpresa receber a sua visita! Fico muito contente por saber que está gostando, muito obrigado pelo carinho e apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  11. adorei seu artigo,adoro orquídeas são minhas paixões,esse ano minhas bonecas resolveram me presentear com belas flores,adorei suas dicas obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Viviane? Que bom que gostou do artigo, fico feliz! Parabéns pela floração das suas orquídeas e muito obrigado pelo gentil comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  12. Matheus Ferrari Dantas15 de maio de 2015 22:31

    Olá Sergio Oyama, parabéns pelo blog que visa por meio de informações e apreço pelas orquídeas- maravilhosa obra de Deus- ajudar outros a cultivá-las. Tenho certas dúvidas que gostaria que você me ajudasse com respeito ao tipo de substrato usado para orquídeas. Muito se fala de usar casca de árvore para que junto com fibra de coco e carvão possa preparar o substrato ideal para orquídeas, além dos materiais de drenagem. Percebo que a casca de árvore mais aconselhada seja a casca de pinus. Posso optar usar outro tipo de casca de árvore em substituição da casca de pinus, sendo a outra bem lavada? Quais posso usar? Além disso, posso usar apenas fibra de coco e carvão bem lavados, além dos materiais de drenagem para preparar o substrato para orquídeas sem usar casca de Pinus e sphagnum? Desde já agradeço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Matheus! Tudo bem? Peço desculpas pela demora em responder. Fico muito feliz por saber que está gostando do blog e das informações! Muito obrigado pelo apoio!

      Sim, você pode usar a casca de outras árvores, sem problema algum. Elas precisam passar por um tratamento, para retirar o tanino. Não sei ao certo como se faz isso, pois costumo comprar o substrato já pronto. Também não saberia especificar quais árvores seriam adequadas, de fato o material mais utilizado é a casca de pinus.

      Sim, você pode preparar substratos sem casca de pinus e sphagnum. A mistura não é fixa, cada um adapta da forma que acha melhor. O ideal é ajustar os materiais de modo que eles não fiquem muito tempo encharcados nem sequem muito rapidamente. É um balanço, um ajuste fino. Há quem cultive somente em brita ou carvão, por exemplo, com bastante sucesso. É uma questão de se adaptar o método de cultivo.

      Um grande abraço!

      Excluir
  13. Sérgio adorei ler seus comentários e orientações, estou começando a cultivar orquídias e quanto mais leio mais me enrolo, alguns orqudófilos manda usar cloro diluido em água para primeira rega como prevenção de doenças outros não usam nada ; somente torta de mamona como adubo
    após o replante . Como fazer o melhor , estou lendo muito , mas as formas de agir muda muito de acordo com cada um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Fico feliz por saber que as informações têm sido úteis! De fato, cada cultivador acaba adotando um estilo próprio para cuidar das suas orquídeas e há muitas orientações desencontradas.

      Pessoalmente, eu utilizo uma colher de sopa de água sanitária (hipoclorito de sódio) diluída em um litro de água e borrifo as plantas. É útil para controlar pragas.

      Mas o cloro não é bom para orquídeas, é bom deixar a água descansar para que ele evapore. Ou utilizar água da chuva ou da caixa d'água.

      Logo após o replante, não é bom utilizar adubo. Isso porque a planta está estressada e as raízes podem ser queimadas, principalmente se o adubo for orgânico, como torta de mamona. O ideal é esperar a planta se enraizar primeiro.

      Muito obrigado pela visita e pela participação!

      Um grande abraço!

      Excluir
  14. Boa tarde,
    Gostaria de saber se posso mudar a orquídea ela estando com flores, pois suas folhas estão amarelas e com fungos e seus adubos estão encharcados de água.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Boa tarde! Geralmente, quando mexemos em uma orquídea com flores, ela pode perdê-las mais rapidamente, devido ao stress. Minha sugestão é que você corte as partes afetadas por fungos, deixe o substrato mais seco e mude após o término da floração.

      Um grande abraço!

      Excluir
  15. Ola tenho uma duvida , tenho augumas mudas de orquideas q plantei em um coqueiro, ja faz ums 5 meses agora q comesaram a se desenvolver.
    mais o poblema e q deu ums bizouro no coqueiro q esta brocando e minhas orquideas estao com umas manchas pretas , to querendo colocalar em vasos estao todas com brotos novos, a parede q coloquei os vasos pega sol das10da manha ate umas 14:30 estou com medo de trocar e acabar matando elas qual sua opiniao, agradeço desde ja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Orleandia! Se as orquídeas já estiverem enraizadas no coqueiro, acho melhor deixá-las onde estão. Para tirá-las de lá, será necessário cortar as raízes, vão sofrer. Você pode tentar retirar mudas e colocá-las nos vasos. Na sua parede, elas precisam de uma tela de sombreamento, já que o sol do meio-dia pode queimá-las.

      Um grande abraço!

      Excluir
  16. ola tenho uma duvida, coloquei minhas mudas em baixo de um pé de acerola a pouco tempo e elas estao sem brilho e amarelando as folhas os raizes parecem secas... o q eu faço? se precisar mando fotos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fabia, tudo bem? Elas estão em vaso ou aderidas à árvore? Caso estejam na árvore, a natureza cuidará dela, sem necessidade de intervenção de nossa parte. Caso estejam no vaso, pode ser sinal de algum problema. Caso possa postar fotos em alguma rede social, eu posso analisar melhor.

      Um grande abraço!

      Excluir
  17. Olá eu tenho uma dúvida, comprei duas phalenophis a uma semana e quando cheguei em casa reguei elas, hoje percebi que uma delas está com um tipo de fungo branco no substrato que é composto por chips de coco e a outra está como se o vaso estivesse mofado por dentro, ambas estão com flores. O que devo fazer? Algumas pessoas falaram para mudar o substrato mais fico com medo porque elas estão com flores lindas mais e se eu não mudar e elas morrerem né ajude por favor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sandra! Você tem razão, não é bom mudar a orquídea de vaso enquanto estiver florida. Procure remover manualmente esta parte que estiver mofada, substituindo por substrato novo. Geralmente, não é nada grave.

      Um grande abraço!

      Excluir
  18. Tenho uma dúvida já vi em alguns lugares que é bom esterilizar o substrato para orquídeas caso o mesmo já não venha identificado como esterilizado. A principal dica é ferver o substrato por 10 minutos. O que vc acha realmente é necessário fazer isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sandra! Sim, alguns recomendam ferver, outros recomendam deixar de molho em solução desinfetante. Mas eu confesso que nunca fiz isso. Até o momento, não tive problemas. Mas pode fazer, não há problema algum.

      Um grande abraço!

      Excluir
  19. OLÁ AMIGO , COMPREI UMA MINI DENFHAL E VEIO EM UM PEQUENO VASINHO DE CERÂMICA PERCEBI QUE AS RAÍZES ESTÃO SAINDO PARA FORA E FICANDO DESIDRATADAS, PENSO EM MUDAR DE VASO MAS COMO SE TRATA DE ESTAR FLORIDA VOU ESPERAR , ENVIAREI IMAGEM PARA VC OK ?
    GRATIDÃO SEMPRE PELA ATENÇÃO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mariza! Sim, é melhor esperar o término da floração antes de mudá-la de vaso. Caso queira, pode apenas colocar o vaso pequeno dentro de um maior, preenchendo com substrato.

      Um grande abraço!

      Excluir
  20. Olá!
    Amei sua matéria. Parabéns!
    Então, eu acabo de fazer a divisão da minha Oncidium (a linda chuva de ouro) para três novos vasos, acontece que ao ler muitas matérias sobre replante de orquídeas fiquei meio perdida com algumas informações e tenho algumas dúvidas.
    Primeiro, ao retira-la do antigo substrato eu não fiz o procedimento de lavar as raízes. O que pode acontecer ou não com elas?
    Segundo, como base no fundo dos vasos eu não usei brita e sim umas pedras para servi de dreno (obs: eu fiz a esterilização das pedras. Fervi elas por uns 15 minutos). Pode haver alguma problema por não ser brita?
    Terceira, antes de colocar o substrato pronto eu salpiquei um pouco de canela em pó por todo o substrato. É ruim isso?
    Quarta, quando eu posso fazer a primeira rega?
    Quinta, quando eu posso fazer a fertilização?
    Ops! Desculpe as muitas perguntas, mas é porque são tantas informações que realmente não sei se realmente fiz tudo certo, e como é a minha primeira experiência com orquídeas fiquei com medo de que não dê certo.
    Help? :(
    Obrigada!

    Att.

    Tatiane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tatiane! Que bom que gostou do artigo, muito obrigado pelo apoio!

      Não é preciso lavar as raízes, mas é importante retirar o substrato antigo, que vai se decompondo e acidificando o meio. Esta substituição é importante no replante.

      Quanto ao dreno, não precisa ser necessariamente brita. Podem ser pedriscos, até mesmo pedaços de isopor.

      Não precisa colocar canela no substrato, apenas em algum corte na planta. Ela ajuda a prevenir infestação por fungos. A rega pode ser feita logo após o replante. A adubação um pouco depois, quando a orquídea estiver aclimatada e enraizada.

      Um grande abraço!

      Excluir
  21. Olá Sérgio eu ganhei uma mini orquídea e ela veio no próprio pode com um tipo de palha por cima é um pote pequeno e eu pensei em mudar de pote, mas depois a coloquei dentro de uma caneca e ela no mesmo pote. Eu li que deveria colocar um cubo de gelo uma vez por semana para refrescar lá e borrifar de vez em quando, eu queria saber se preciso comprar adubo e trocar de vaso e como posso fazer para cuida-la

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camila! Esta palha por cima deve ser decorativa, acho que você pode retirá-la. As orquídeas são cultivadas em substrato, geralmente em vasos de plástico, com furos embaixo. A caneca e o pote são decorativos, podem ser usados desde que não retenham a água da rega. Não precisa trocar de vaso, a menos que a planta esteja muito grande ou o substrato muito velho.

      A técnica de regar com gelo não é muito eficiente. Você pode regar debaixo da torneira, deixando escoar bem e secar completamente, até a próxima rega.

      Um grande abraço!

      Excluir
  22. Olá,ganhei minha primeira orquídea ano passado e não sabia como cuidar,entao ela morreu.Ganhei outra novamente ontem e já estou aflita por continuar sem saber kkkk,as Cascas de Côco que vieram nela já estão envelhecidas e agora o que faço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Que pena! Geralmente, este material no qual as orquídeas vêm plantadas demora cerca de um a dois anos para se decompor. Por isso, você não precisa se preocupar, neste momento. Aqui no blog, em Dicas de Cultivo, há informações que podem ser úteis para cuidar da sua orquídea. Procure regar bem e deixar o substrato secar naturalmente, até a próxima rega.

      Um grande abraço!

      Excluir
  23. Olá,tenho uma orquidea na loja onde trabalho, porem é mais de um ano que estou aqui e ela não fez flor, está plantada num vaso pequeno de plastico e as raizes já estao bem secas,devo troca-la de vaso para um maior? as raizes já fizeram o formato do vaso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patricia, tudo bem? Que pena. Caso seja uma Phalaenopsis, aquela orquídea que emite hastes com flores semelhantes a mariposas, a que geralmente encontramos no mercado, ela não precisa ser replantada com muita frequência. Isso é necessário apenas se o substrato estiver muito velho, decompondo-se. No caso da sua orquídea, talvez o que falte é luminosidade. Procure fornecer mais luz, sem sol direto, que a floração deve ocorrer.

      Um grande abraço!

      Excluir