Entrevista com Yoshio Sano


Cattleya walkeriana tipo 'MR'
Cattleya walkeriana tipo 'MR'

Recentemente, tive o privilégio de visitar um belíssimo orquidário particular, a convite de seu proprietário, o conceituado orquidófilo Antonio Yoshio Sano. O que aprendi em uma tarde de conversa equivaleria a anos de cursos e palestras. A seguir, sob a forma de narrativa, vou compartilhar com vocês alguns dos principais conceitos que aprendi durante esta entrevista.

Yoshio Sano
Yoshio Sano

Trajetória


Designer industrial por formação e atualmente proprietário de um restaurante, o Sr. Yoshio Sano tem a orquidofilia como sua grande paixão. Por muitos anos, dedicou-se ao cultivo da Cattleya walkeriana, tornando-se referência no assunto. Sua coleção é formada por exemplares selecionados a dedo, de qualidade excepcional e, consequentemente, bastante valiosos. Além disso, recentemente, tem voltado sua atenção a outras espécies, tais como Sophronitis cernua e Sophronitis brevipedunculata, pequenas joias de forma e colorido fantásticos.

Seu conhecimento e experiência valeram-lhe uma série de entrevistas em sites e revistas especializados, no Brasil e no exterior. Vários artigos seus foram publicados no Japão. Neste contexto, o Sr. Sano conta que, por muito tempo, seu site especializado em Cattleya walkeriana recebeu mais visitantes japoneses do que os provenientes de todos os outros países. Após três gerações de sites, com versões progressivamente melhoradas, o conteúdo está temporariamente fora do ar, à espera de uma versão mais moderna. Atualmente, mantém uma página no Facebook, que tem sido seu principal meio de interação com os fãs de suas orquídeas.

Atualmente, o Sr. Sano tem sido requisitado para prestar consultoria na manutenção dos orquidários de importantes colecionadores. Através de visitas periódicas, ele detecta os principais problemas de cultivo e dá as diretrizes para corrigi-los. Algumas de suas valiosas dicas serão transmitidas ao final desta matéria.

Flores preservadas


Muitos colecionadores japoneses costumam vir ao Brasil especialmente para conhecer e adquirir as orquídeas deste renomado orquidófilo. O cuidado e atenção que dedica a cada detalhe de sua coleção transparecem também durante as negociações. Além de apresentar fotos da orquídea que será vendida, o Sr. Sano tem o cuidado de preservar suas flores em álcool, de modo a documentar características que muitas vezes não ficam evidentes nas imagens, tais como tamanho, armação e aspecto tridimensional. 

Em uma ocasião em que receberia um importante comprador internacional, o Sr. Sano chegou ao requinte de congelar uma flor de orquídea. Como a floração não duraria até a chegada do cliente, a criopreservação foi utilizada para que a pessoa pudesse apreciar a flor exatamente como era, com a forma e coloração intactas, embora por poucos segundos.

Cattleya walkeriana flamea 'Brodowski'
Cattleya walkeriana flamea 'Brodowski'

O orquidário


O espaço que antecede o orquidário já é digno de nota. Antes de chegarmos à área de cultivo, passamos por uma agradável varanda ao ar livre, ornamentada por vasos de plantas, muitas delas com orquídeas em seus troncos. Ao centro, uma mesa com cadeiras, espaço ideal para receber os visitantes. Em uma bancada lateral, estão dispostas as orquídeas floridas. Por ocasião da minha visita, tive a sorte de testemunhar belíssimas florações de Cattleya walkeriana.

O orquidário fica em uma laje superior, de 11 m2. O espaço é muito bem iluminado e arejado, totalmente coberto por tela de sombreamento. Todos os vasos são milimetricamente dispostos, de modo a aproveitar o máximo em termos de luminosidade. O distanciamento entre uma planta e outra também é cuidadosamente respeitado, o que garante boa ventilação e controle de doenças.

O espaço abriga aproximadamente 300 plantas, além de mudas provenientes de sementes (seedlings). O cultivo é bastante padronizado. A maior parte das orquídeas está plantada em vaso de barro com sphagnum. As espécies de menor porte, como Sophronitis cernua e Sophronitis brevipedunculata, estão em placas de madeira. A irrigação é manual, realizada com mangueira. Adubos e defensivos são aplicados com um pulverizador elétrico.

Cattleya walkeriana tipo 'Olivia Palito'
Cattleya walkeriana tipo 'Olívia Palito'

Olhar clínico


Um grande diferencial do serviço de assessoria do Sr. Sano, fruto de décadas de experiência, é a habilidade de reconhecer, precocemente, plantas que serão de boa qualidade quando adultas. Apenas observando os aspectos vegetativos de pequenas mudas, ele seleciona dez ou vinte exemplares, dentre as centenas de plantas que compõem um lote. Este trabalho não tem preço, já que será necessário esperar até cinco anos para ver a floração destas orquídeas.

Este poder, que para a maioria de nós pode parecer sobrenatural, também é usado para prever os cruzamentos de orquídeas que irão gerar bons descendentes. Esta análise leva em conta não apenas a qualidade e beleza da flor, mas também o porte e vigor da parte vegetativa dos possíveis pais. A partir destes estudos, o Sr. Yoshio Sano produziu a Cattleya walkeriana flamea 'Brodowski', fruto do cruzamento da Cattleya walkeriana flamea 'Portinari' com ela mesma (self). Ambas foram batizadas pelo próprio Sr. Sano, em homenagem ao pintor e à sua cidade de origem.

Em uma época em que as orquídeas são extremamente valorizadas por sua forma redonda e simétrica, uma Cattleya walkeriana fora dos padrões chamou a atenção deste colecionador com olhar clínico. A orquídea atípica, de pétalas e sépalas delgadas, foi carinhosamente batizada como Olívia Palito. Para consegui-la, o Sr. Yoshio Sano precisou viajar por centenas de quilômetros. Uma vez em casa, foi cultivada com todo o cuidado e floresceu. Sua flor esbelta foi fotografada e colocada na página de abertura de seu site. A princípio, a Olívia Palito causou estranhamento entre os exigentes críticos e colecionadores. Mas depois, sua excentricidade e exotismo caíram no gosto dos visitantes, tornando a foto uma das mais acessadas do site.

Cápsula de sementes, por Yoshio Sano
Ilustração de uma cápsula de sementes, concebida por Yoshio Sano

Dicas de cultivo


As principais dicas para cultivar orquídeas saudáveis podem ser inferidas apenas olhando a organização do orquidário do Sr. Sano. As plantas precisam estar bem espaçadas, sem encostar uma na outra. O arejamento e ventilação são importantes para evitar o aparecimento de pragas.

O cultivo é o mais padronizado possível. Não há misturas de vasos de plástico e de barro, diferentes substratos como sphagnum e casca de pinus, etc. Qualquer que seja a escolha do tipo de vaso e substrato, é importante que sejam sempre os mesmos. Deste modo, o tempo que levam para secar será uniformizado, o que facilitará as regas e a determinação de sua frequência.

Também não vemos aquela profusão de todos os tipos imagináveis de orquídeas. Ao direcionarmos o cultivo para um grupo selecionado de espécies, o manejo fica muito mais controlado e otimizado. O número de orquídeas em uma coleção também deve ser limitado e proporcional ao tempo de que dispomos para cuidar delas. Se excedermos esta quantia, fatalmente teremos orquídeas abandonadas, em algum momento.

Segundo o Sr. Sano, o orquidófilo iniciante costuma replantar suas orquídeas quando detecta algum problema. Neste momento, infelizmente, o pior já aconteceu. O ideal é que o replante anteceda ao decaimento da orquídea, que costuma ser causado pelo envelhecimento do substrato e deterioração das raízes. O ideal é que o replante seja feito a cada ano e meio.


Considerações finais


Quando convidei o Sr. Yoshio Sano para uma entrevista no blog, imaginei que receberia as respostas das cinco questões que formulei por e-mail. Para minha surpresa, acabei sendo convidado para conhecer seu orquidário particular, em sua residência. Além de uma tarde agradável e uma conversa riquíssima em aprendizado, acabei voltando para casa com um presente especial de sua coleção, uma orquídea Sophronitis brevipedunculata. A planta veio cuidadosamente embalada em papel de seda, dentro de uma sacola de papel com o logotipo 'Sanorchids', desenhado na hora. Uma delicadeza e requinte que não têm preço.

Para aqueles que quiserem acompanhar o trabalho deste incomparável profissional e conhecer mais de perto sua coleção, deixo o endereço de sua página no Facebook. Vocês podem acessá-la clicando neste link.

Uma excelente entrevista com este conhecido cultivador pode ser lida no site Brazilian Orchids, da orquidófila Delfina de Araújo.

Ao Sr. Yoshio Sano, deixo registrado meu muito obrigado por tudo. Por esta entrevista especial, pela visita agradabilíssima e pelo presente inesquecível.

38 comentários:

  1. Trabalho excelente, Sérgio Oyama!
    Gostei muito de conhecer maiores detalhes do cultivo desse orquidófilo com o qual tive a oportunidade de trocar algumas palavras em visita ao orquidário LC em Jundiaí. É justamente desse critério e dessa organização que a orquidofilia necessita para se justificar como prática saudável. Parabéns e obrigado por mais essa contribuição! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, André! Tudo bem?

      É para mim uma grande alegria saber que gostou da entrevista. Admiro bastante seu trabalho e atuação na orquidofilia e sua opinião é extremamente importante.

      De fato, ele comentou que vai ao LC com frequência! Muito obrigado pelo apoio e consideração, foi ótimo receber sua visita!

      Um grande abraço!


      Excluir
  2. Nunca havia pensado em cultivar um único (ou poucos) tipo de orquídea nem em utilizar um mesmo tipo de vaso e de substrato... Lições! Belas lições... Excelente texto, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alexia! Pois é, também confesso que me falta esta visão. Às vezes, peco pela falta de disciplina. Fico muito feliz por saber que gostou do texto, muito obrigado pelo comentário e pelas palavras de apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Que delícia de texto! Ao ler o artigo percebo o quanto não sei absolutamente nada dessa nossa paixão... E como é bom aprender com quem sabe passar, com quem tem o despojamento de dividir tudo que sabe! Obrigada por compartilhar conosco o tanto que sabe e tudo que aprende com esses mestres fantásticos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Roseana, que bom saber que gostou! De fato, também fico bastante agradecido pela generosidade dos entrevistados em compartilhar o que sabem. Tem sido uma experiência única.

      Imagine, eu que agradeço pelo seu comentário, sempre inteligente e construtivo. Muito obrigado pela visita e apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  4. Amei a matéria, vc escreve muito bem... Parabéns pela entrevista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Debora? Imagine, bondade sua! Que bom saber que gostou da entrevista, muito obrigado pelas palavras de apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  5. Olá Sérgio, parabéns pelo seu trabalho no blog!! Sou iniciante com orquídeas e ainda estou apanhando bastante, e como você prefiro adquirir mudas (pelo preço e pela satisfação de vê-las crescendo). Não sei se você já postou, mas você poderia postar fotos da sacada do seu apê?? É que eu gostaria de "copiar" algumas idéias suas para minha sacada, se você permitir, claro! Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marcel, tudo bem? Que ótimo saber que está gostando do blog, muito obrigado pela visita e apoio!

      Confesso que minha sacada ainda tem muito a melhorar, não sei se serviria de modelo. Mas tem algumas fotos neste artigo, não sei se já viu:

      http://www.orquideasnoape.com.br/2013/11/como-cuidar-de-orquideas-em-apartamento.html

      Caso precise de outras informações, estou à disposição!

      Um grande abraço!

      Excluir
  6. Oi Sérgio, Fico aqui imaginando se um dia eu chegarei nesse nível de organização com minhas orquídeas, a única coisa que tenho em comum com ele é que eu também molho minhas orquídeas com mangueira, hehehehe. Elas são todas preguiçosas pra florescer (culpa minha óbvio), só tenho uma floração lá em casa agora pq comprei uma cymbidium florida em Curitiba. Aliás, será que tu poderia me dar algumas dicas para cuidar dela? Não sei se ela é de verão ou de inverno, o substrato e as regas. Algumas pessoas recomendam adicionar terra no substrato, fiquei receosa. Bom, desculpe o desvio de assunto. Lindas as orquídeas. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jade! Pois é, também não sou tão organizado assim. Mas um dia chegaremos lá! O Cymbidium é uma orquídea que gosta de climas mais frios, é ideal para a sua cidade. Ele está começando a florescer agora, sendo o pico no inverno. Trata-se de uma orquídea terrestre, você pode adicionar terra ao substrato sem medo.

      Muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
    2. Não querendo incomodar, mas já incomodando... O vaso da cymbidium deve ser furado nas laterais? Trouxe ela com as raízes nuas para facilitar o transporte, o que foi uma pena pois ela está florida, só que o vaso era bem pesado e eu não ia aguentar a viagem com ele. O que eu percebi é que ela estava com as raízes tomando conta de todo o vaso, coloquei em um vaso de tamanho semelhante, devo colocar em um maior?

      Excluir
    3. Oi, Jade, imagine! Você nunca incomoda! O Cymbidium, por ser uma orquídea terrestre, não tem essa necessidade de furos nas laterais. Pode ser cultivada em solo rico em matéria orgânica, como uma planta de jardim. Como ela cresce e entouceira rapidamente, pode ser melhor colocar em um vaso maior.

      Um grande abraço!

      Excluir
  7. Olá Sérgio,
    Parabéns pelo fantástico e completo post sobre esta sumidade no cultivo de orquídeas e pelo conteúdo tão importante e precioso, para um apaixonado por walkerianas como eu. Obrigado por compartilhar e, seguramente, terei sempre em atenção conselhos tão úteis.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Américo, tudo bem? Que ótimo saber que gostou do post, fico muito feliz! Imagine, eu que agradeço pela gentileza do seu comentário. Para mim, é sempre uma honra receber a sua visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  8. Eita que maravilha; vc conseguiu com o entrevistado dicas maravilhosas mesmo e certamente vc não foi o mesmo qd saiu de lá!
    Fotos caprichosamente escolhidas...
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jalo! É verdade, foi uma experiência única fazer esta entrevista. Que bom que gostou, muito obrigado pelas palavras de apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  9. Amei as dicas, principalmente quanto a uniformidade de substrato e vaso para a manutenção da mesma umidade! Parabéns e obrigada Sergio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, que bom saber que gostou das dicas! Muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  10. Muito boa a matéria. Vamos ver se pode me ajudar.Ganhei 4 mudas da wanda de cores diferentes isso já faz 4 anos. Só uma que deu flor até o momento 8 vezes nesses 4 anos. As outras 3 nada de dar flor isso já tem 4 anos. Já coloquei o liquido FORTH para floração. coloco tb 4 14 e 8 de 15 em 15 dias. O que posso fazer??? Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rose, tudo bem? Que bom saber que gostou da matéria! Eu não cultivo Vanda, por isso, minha opinião será apenas teórica. Se uma delas já floresceu 8 vezes, é sinal de que você está fazendo a coisa certa. Quanto às demais, talvez seja uma questão de maturação da planta. A adubação, em Vandas, pode ser mais frequente. Há quem adube diariamente, em doses homeopáticas. No Minhas Plantas, da nossa parceira Carol Costa, há uma série de vídeos sobre o cultivo de Vanda, acho que vai ajudar.

      Muito obrigado pela visita e um grande abraço!

      Excluir
  11. Oi Sérgio, tenho fuçado muito em seu blog a cata de informações que me garantam o bom atendimento às minhas filhas. Como você é bom no que faz... Pode até ter começado sem pretensões, mas acabaste arranjando uma penca de seguidores ávidos por explorar seus conhecimentos. Obrigada meu amigo por partilhar conosco os aprendizados obtidos na lida com essas meninas temperamentais e nos anos que passastes nos bancos acadêmicos. Essa entrevista nos ensina muito. Se eu pudesse contar com esses olhos clínicos do Sr. Sano não traria pra casa 2 filhas contaminadas por vírus e fungos. Estou recuperando-as com a ajuda de vocês. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Lucia, que pena! Sinto muito pelas suas orquídeas, torço para que se recuperem. Fico muito feliz por saber que as informações estão sendo úteis! De fato, o Sr. Sano tem um vasto conhecimento sobre estas meninas! Muito obrigado pelo comentário e apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  12. OLA SERGIO …
    ACHEI MUITO GRATIFICANTE O SR SANO CONVIDÁ-LO PARA UMA VISITA
    TAMBÉM PUDERA … VC É UMA PESSOA MUITO ESPECIAL PARABENS QUERIDO.
    ACHEI A ENTREVISTA SUPER BACANA E AS DICAS FORAM ÓTIMAS …SERÃO MUITO ÚTEIS.
    FORTE ABRAÇO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Leila? Imagine, bondade sua! Que bom que gostou da entrevista e das dicas, fico feliz! Muito obrigado pela visita e pelo comentário, sempre gentil e construtivo!

      Um grande abraço!

      Excluir
  13. Sergio, parabéns pela matéria!! Ha alguns dias atrás tive a honra de falar com o Sr. Yoshio Sano, e fiquei impressionada com sua sabedoria a respeito das orquídeas, Recebi conselhos valiosos que me fizeram refletir e repensar sobre, como, quando, onde e porque cultivar orquideas. Queria até aproveitar pra agradecer a generosidade dele por dividir seu tempo e conhecimento comigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mary, tudo bem? Que alegria saber que conheceu o Sr. Sano. De fato, ele tem um vasto conhecimento sobre orquídeas e é bastante generoso em compartilhar sua experiência. Muito obrigado pela mensagem!

      Um grande abraço!

      Excluir
  14. Oi, Sérgio!
    Primeira vez que faço um comentário, mas sempre visito seu blog, que conheci através do portal da Carol Costa (que eu adoro).
    Admiro demais seu trabalho! E as fotos são de tirar o fôlego!
    Me animei a escrever desta vez, pois mais uma vez você demonstra carinho e sensibilidade ao falar de alguém tão interessante como o Sr. Sano. Essa sua sensibilidade me toca o coração!
    Ah, sim: as orquídeas! Amo-as também. Mas como não chego a ser colecionadora, tenho algumas diferentes entre si: 5 Vandas, uma BLC Erin Kobayashi, Phalaenopsis e Dendrobium (padrão zero, rs).
    Olha, passei para expressar carinho e admiração! Um grande abraço! E ótima primavera! (se puder me responder também no email, ficaria bem alegre)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Singra! Tudo bem? Que alegria ler o seu comentário! Fico feliz por saber que me encontrou através da Carol, amiga que admiro muito! Ótimo conhecer a sua coleção, parabéns! Ainda não recebi sua mensagem, mas responderei, com certeza! Muito obrigado pelo carinho e apoio da sua visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  15. Bom dia, Sergio!!!
    Adoreeeeeei esse post!!! As walkerianas do Sano são mesmo espetaculares. Mas queria tirar uma dúvida: ele planta as walkerianas somente em esfagno? Eu tenho uma walkeriana, mas desde que comprei ela só soltou uma folhinha e pequena. Tem algum tratamento especial pra elas se desenvolverem mais? Ela está num vaso plástico com substrato de pinus, carvão e fibra de côco. Parabéns mais uma vez...adoro seu blog!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dani, bom dia! Tudo bem? Fico feliz por saber que gostou, muito obrigado pelo apoio!

      Sim, ele cultiva somente em sphagnum, em vaso de barro. Mas o seu sistema também está correto, tudo depende do clima do seu local de cultivo. Se ela estiver emitindo novas raízes, é sinal de que está bem. Ela gosta de bastante luminosidade. Espero que sua orquídea cresça bem.

      Muito obrigado pela visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  16. Bom dia Sérgio Oyama, tenho duas phalaenopsis e recentemente elas começaram a apodrecer as raízes e amarelar as folhas quando percebi acompanhei de perto e logo depois de alguns dias troquei as duas de vaso, tirei as raízes pobres e coloquei substrato novo. Mas no caule delas tem tipo um pó branco (pouco mas tem) e não estão muito bonitas, gostaria de saber o que faco. Elas ficam na varanda do meu apartamento onde pega pouco sol, (sol não direto)e sempre molho uma vez por semana, já floriram uma vez e agora já se passaram mais de um ano e não deu flores novamente, tenho fotos se quiser posso mandar. Preciso muito de ajuda. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Que pena. Você fez bem em trocar de vaso e cortar as raízes apodrecidas. Este pó branco deve ser cochonilha. Você pode retirar manualmente, usando uma escova de dentes macia e detergente líquido ou sabão de coco. Quando a orquídea é replantada, sofre um stress e pode demorar a florescer novamente. Mas vale a pena aguardar!

      Um grande abraço!

      Excluir
    2. O que acha do oleo de Neem? posso te mandar as fotos? se puder me fala um email.

      Excluir
    3. Então, particularmente, não percebo muita eficácia com o óleo de Neem. Eu utilizo, mas é como preventivo. Aqui em cima, na barra horizontal, tem um link para um formulário de contato. Você poderia me enviar uma breve mensagem, por favor? Assim eu retorno com meu e-mail pessoal.

      Excluir
  17. Gostei muito do post, aprendi muito. Sou iniciante com orquídeas. Resido numa cidade quente e úmida, com sol durante quase todo o ano. É a primeira vez que comento em seu blog. Continue, seu blog é muito bom. Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cláudia, tudo bem? Que alegria saber que gostou do blog! Muito bom saber do clima da sua cidade, é ideal para o cultivo de várias orquídeas. Muito obrigado pelo comentário, adorei!

      Um grande abraço!

      Excluir