Como fazer sua orquídea florescer: Luz


Mini-orquídea Sophrolaelia Jinn
Sophrolaelia Jinn

'Minha orquídea está linda, cheia de brotos e folhas, mas não dá flor. O que faço?' - Tenho recebido esta pergunta com uma certa frequência. Vários fatores afetam a floração de uma orquídea. Mas, na maior parte dos casos, a resposta pode estar na intensidade de luz que a planta está recebendo.


1. Nem todas as orquídeas são iguais


Milhares de espécies de orquídeas espalham-se por toda a superfície do planeta. Neste sentido, cada uma terá uma necessidade diferente de luminosidade. Temos aquelas que necessitam de sol direto, como o Epidendrum fulgens. Outras são conhecidas por gostarem de bastante luz, mas não diretamente, como a Cattleya labiata. A orquídea Phalaenopis, por sua vez, pode florescer com uma menor quantidade de luminosidade, mas não na sombra total.

Portanto, o primeiro passo para termos uma boa floração é conhecermos a orquídea que temos em mãos e procurarmos um lugar apropriado para cada espécie. No final do artigo, colocarei uma lista com as quantidades aproximadas de luz  que os principais gêneros de orquídea necessitam.


2. Orquídeas e a orientação do sol


Percebo que a maioria das pessoas que têm problemas com luz cultivam orquídeas em interiores, casas ou apartamentos, geralmente próximo a uma janela ou varanda. O que nem todos sabem é que a direção para qual a janela está voltada influencia na quantidade de luz que a mesma recebe.

O sonho de todo orquidófilo nestas condições é ter uma janela voltada para o leste, que receba o sol da manhã. Esta é a luz ideal para o cultivo das orquídeas. A situação oposta, uma janela face oeste, recebe o sol da tarde, que é muito quente e deve ser filtrado por uma tela de sombreamento ou uma cortina fina. A janela face norte também é considerada adequada, sendo na realidade a mais valorizada do mercado, por receber maior luminosidade. Por fim, as janelas voltadas para o sul costumam ser escuras demais para o cultivo da maioria das orquídeas.

Outro ponto importante a considerar é que a intensidade de luz cai drasticamente à medida que nos afastamos da janela. É comum as pessoas colocarem orquídeas em mesas e paredes a vários metros de distância de uma janela bem iluminada. Elas sobrevivem, mas jamais darão flores. É por isso que os americanos que utilizam esta técnica de cultivo são conhecidos como windowsill growers, por cultivarem suas orquídeas estritamente no parapeito da janela. Que, por sinal, costuma ser mais largo nos países do hemisfério norte.


3. Intensidade da luz sobre as orquídeas


Antes da invenção da eletricidade, os ingleses avaliavam a luz através de uma medida chamada foot-candle (fc). É a quantidade de luz projetada por uma vela padronizada a uma distância de um pé. Até hoje, os orquidófilos americanos costumam utilizar este padrão para as recomendações de luminosidade no cultivo de orquídeas. Este parâmetro é importante porque os nossos olhos costumam nos enganar quanto à quantidade de luz que um determinado ambiente recebe. Para termos uma noção, a medida de um dia ensolarado, ao meio-dia, é de 10.000 fc. Por outro lado, um dia nublado produzirá apenas 1.000 fc.

Embora não percebamos, pequenos detalhes fazem enormes diferenças nestas medidas. Alguns centímetros mais afastados de uma janela, e já temos um grande decréscimo na luminosidade. O mesmo ocorre se houver obstruções, como prédios vizinhos ou árvores próximas. Por serem mais sensíveis, as orquídeas respondem a pequenas variações de intensidade de luz, imperceptíveis aos olhos humanos. Neste sentido, um fotômetro é sempre muito mais confiável do que os nossos olhos. Eu costumo utilizar o de uma antiga máquina fotográfica analógica. Os smartphones atuais também podem realizar esta tarefa, através de aplicativos específicos.


4. Orquídeas bem iluminadas


Com base em todas estas informações, podemos partir para o grande desafio de ir distribuindo as orquídeas pela casa, ou melhor, pelas janelas e varandas. Comecei cultivando minhas plantas em frente a uma janela face oeste, no meu quarto. Acreditava que era um ambiente bem iluminado, já que recebia todo o sol da tarde. Pois foi somente após meses com pouquíssimas flores que resolvi medir a luminosidade e acabei verificando que esta era muito baixa. Transferi todas para a varanda.

De modo geral, o melhor é tentarmos fornecer o máximo de luz para as orquídeas, sem queimar suas folhas. O velho conselho de observar a cor das folhas é válido. Se estiverem com um verde muito escuro, precisam de mais luz. Se estiverem amarelando, estão expostas a um excesso de luminosidade.

A seguir, alguns níveis de luminosidade sugeridos para o cultivo e floração dos principais gêneros de orquídeas, fornecidos pelo site OrchidsAmore. Lembrando que são valores aproximados, mas que dão uma noção para aplicação prática.

Paphiopedilum              900 fc
Phalaenopsis             1.500 fc
Oncidium           2.000-2.500 fc
Zygopetalum        2.500-3.000 fc
Dendrobium         2.500-4.500 fc
Grammatophyllum    3.000-6.000 fc
Cattleya                 3.500 fc
Dendrobium nobile  6.000-8.000 fc

Vanda                    8.000 fc


Outras informações, mais especificamente sobre outros aspectos do cultivo de orquídeas em interiores, podem ser encontradas no artigo abaixo:




66 comentários:

  1. Olha, mas que outra maravilha de artigo; vc mantém e se supera em postagens tão incríveis e, diria, inéditas! Parabéns Sérgio, valeu pelas contribuições a todos nós! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jalon! Tudo bem? Imagine, você que é a gentileza em pessoa! Que ótimo saber que gostou da postagem, muito obrigado pela opinião e incentivo!

      Um grande abraço!

      Excluir
    2. Adorei conhecer a necessidade de luminosidade para cada espécie. Obrigada.Parabéns pelo artigo.

      Excluir
    3. Oi, Maria Jose! Que bom, fico feliz! Imagine, eu que agradeço a você pela visita e pelo apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Oimas informaçoes....adoro saber mais sobre orquideas!
    obrigado por compartilhar!!!
    bjs!

    RUTE DUTRA
    www.gostandodavida.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rute! Que bom saber que gostou! Imagine, eu que agradeço a você pela visita e comentário!

      Bjos e até mais!

      Excluir
  3. Oi, Sérgio!!! Mais uma vez obrigada por compartilhar seu conhecimento!!! Adorei o post, e vou dar mais atenção a isso!!!
    Abraços, Paula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paula! Que bom que gostou! Imagine, eu que agradeço pela sua visita e interesse, sempre!

      Um grande abraço!

      Excluir
  4. Oi Sérgio,
    Aqui no meu pátio em Porto Alegre muitas orquídeas tem se dado muito bem. Minha casa é de frente para o sul, porém, é uma pequena casa térrea que fica entre uma suntuosa casa de dois andares e um prédio de três andares, ainda temos o flamboyant cuja copa cobre todo o jardim da frente, impossibilitando o cultivo de plantas que necessitem sol. Por isso temos pouco sol, o que sempre foi considerado um problema, pois a cidade é muito úmida e sempre tivemos problemas com limo nos muros. Agora que eu passei a cultivar orquídeas vi que elas gostam muito desse pátio, já que elas estão muito bonitas e satisfeitas. Eu mal molho elas, a umidade do ar nesse inverno é tão alta que os vasos nunca secam. Porém, cobri parte do pátio onde moram as orquídeas com plástico transparente para segurar o frio um pouco. Já as minhas mudas de epidendrum fulgens não vingaram, acho que nunca se darão bem por aqui. Há 15 anos atrás passamos férias em Florianópolis, meu pai se encantou com as epidendrum fulgens que existem lá aos montes vivendo na areia das dunas. Ele trouxe uma muda e se arrependeu, pois não sabia o que fazer e largou numa árvore na esquina da nossa casa. Hoje a epidendrum virou um verdadeiro monstro, formando cachopas gigantes de onde saltam centenas de mudas com raízes brancas caindo. Passando debaixo da árvore dá medo que as bolas gigantes de orquídeas caiam no chão. Peguei uns desses keikis para tentar cultivar mas desisti, eles odiaram meu pátio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jade! Tudo bem? Que legal saber que suas orquídeas estão gostando do seu pátio! De fato, eu já morei no Sul e lembro-me bem da alta umidade durante o inverno.

      Quanto ao Epidendrum fulgens, é uma pena que não tenha dado certo. É que ele gosta de bastante sol direto. Mas a vida de orquidófilo é assim mesmo, vamos testando e aprendendo com as plantas.

      Muito obrigado por este belo relato das suas experiências com a luz e as orquídeas!

      Um grande abraço!

      Excluir
    2. Um post interessante, Sergio. A luz é um fator crítico na flor, obrigado para os dados. Abraços

      Excluir
    3. Oi, Angel Mar! Fico feliz por receber sua visita e por saber que gostou do post. Muito obrigado pelo apoio, sempre!

      Um grande abraço!

      Excluir
  5. Que ótimas dicas Sergio!
    Aprendi muito neste artigo, percebi como a luz é importante para que a orquídea se desenvolva naturalmente, sem estresse!
    Agora seu o motivo de as minha orquídeas anteriores nunca terem resistido... a incidência correta da luz é fundamental!
    É algo bastante científico e eu diria até cronometrado...

    E que exemplar lindo você ilustrou o artigo amigo!
    Uma cor maravilhosa!
    Mas eu não vi os slides hoje... Será que é só no meu computador? Eu jurava que haviam imagens no estilo slides na última vez que aqui estive....ESTAVA TÃO BONITO!! :)))
    Um grande beijo e ótima semana!
    Obrigada por mais esta beleza de artigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana!

      Fico contente que tenha gostado do artigo, muito obrigado pelas palavras de apoio! Tenho certeza de que você voltará a cultivar belas orquídeas, é só uma questão de ajustar as condições. Também já perdi muitas!

      Pois é, Adriana, estou fazendo um pequeno teste e precisei tirar os slides. Mas, se tudo der certo, volto com eles, sim! Que bom que gostou! :))

      Muito obrigado pela agradável visita e pelo comentário sempre construtivo!

      Beijo grande e uma excelente semana para você também! Imagine, eu que agradeço! ;)

      Excluir
  6. Boa noite Sérgio, mais um ótimo artigo em seu blog. Só fiquei triste em saber sobre a intensidade de luz que as Vandas necessitam, as minhas estão muito bem, mas acho que floração passa a ser um sonho. Que tal para breve um artigo sobre rega.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sadi, boa noite!

      Imagine, gentileza sua! Que bom saber que gostou deste artigo. De fato, as Vandas necessitam de uma boa luminosidade, mas acho que é possível consegui-la. Torço para que as suas floresçam em breve!

      Muito boa a sugestão, vou planejar para os próximos artigos!

      Muito obrigado pela visita e participação!

      Um grande abraço!


      Excluir
  7. Que información tan interesante Sergio, no solo es útil en las orquídeas, a mi me ha sucedido con ciertas plantas de interior que tampoco están a gusto con la luz que reciben ( ya sea mucha o poca) y se marchitan.
    Cada planta necesita lo suyo y para eso debemos estar debidamente asesorados , muchas veces sacamos una planta de un vivero y al llegar a nuestras casas es una frustración total.

    Un placer pasar a leerte, te dejo un abrazo y te deseo una hermosa jornada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cristina! É verdade, existe uma grande diferença entre as condições de cultivo em uma estufa e em nossas casas. Também percebo que as minhas sentem a mudança. Mas vamos tentando adaptá-las às nossas condições!

      Que ótimo receber sua visita e ler seu comentário! Muito obrigado pelo apoio e interesse!

      Um grande abraço e um excelente dia!

      Excluir
  8. Que interessante post,Sérgio!
    Eu mesma já tinha lido vários artigos sobre a influência da intensidade da luz na floração das orquídeas,mas achei o teu texto muito bom e esclarecedor. E eu sempre me pergunto se as minhas orquídeas estão recebendo a luz necessária,pois conforme a época do ano, a quantidade de luz aqui em nossa casa se modifica, e muitas vezes tenho que trocar a posição das nossas orquídeas...E nem sempre acerto em minhas escolhas! (Rs...) Acho que o jeito aqui é ir experimentando e observando as "respostas" dessas queridas plantinhas... Com as "Phalaenopsis" até tenho tido algum sucesso,com as outras nem tanto...Espero que um dia eu possa "acertar" mais do que errar, e conseguir que elas nos ofereçam sempre as suas belas flores! Muito obrigada,meu amigo, por compartilhar conosco tantas dicas importantes!
    Tudo de bom e um abraço grande das flores daqui!!!
    Teresa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Teresa!

      Que ótimo saber que gostou do post! De fato, esta questão da luz é um desafio para nós, cultivadores. Aqui também sofro com as mudanças na orientação do sol. O jeito é ir testando e observando a reação das plantas. Torço para que dê tudo certo com as suas orquídeas. Se as Phalaenopsis florescem, já é um ótimo começo! Parabéns!

      Sou sempre muito grato pelas suas visitas e seus comentários ricos e carinhosos! Muito obrigado por todo o apoio, sempre!

      Um grande abraço e um ótimo final de semana!

      Excluir
  9. Muito bem! Mais um post, que com muita clareza comentou um assunto, que interessa mesmo a todos nós! E fiquei feliz, pois foi por intuição que escolhi o cantinho das minhas orquídeas! Ficam na varanda, protegidas por janelas de vidro canelado, filtrando assim o sol que bate pela manhã! Têm claridade, ficam arejadas, mas sem corrente de ar. E a floração acontece o ano todo.
    Bom passar pelo Apê! Boa noite! Bom fim de semana! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Helô!

      Tudo bem? Que legal, adorei saber mais sobre o seu local de cultivo. Parabéns pela sensibilidade de escolher este cantinho especial! Aqui também, fiz alguns testes e acabei decidindo pela varanda.

      Muito obrigado pela sua visita e pelo comentário, sempre carinhoso!

      Beijos e um ótimo fim de semana para você também!

      Excluir
  10. Olá Sergio belezinha???

    Muito legal o artigo, esclareceu minhas dúvidas e ainda me fez perceber que eu fiz a coisa certa.

    Minhas orquídeas estavam na janela da sala, que é bem grande, e pega toooooodo o sol da manhã, fortissimo por sinal rs...

    Minhas orquídeas não gostaram nem um pouco, minhas Vandinhas então, tadinhas começaram a queimar as folhas, as raizes ficaram quase secas, só uma que gostou, esta bonita, que ainda esta lá.

    As outras trouxe para o quintal (é a área privativa do apartamento, eu a chamo de meu quintal rsrs ) Todas gostaram, e estão lindas.

    A minhas vandas é que ainda não dei conta de achar um lugar que elas gostassem mesmo. Tenho 8, meus mimos.

    :) boa noite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Denis!

      Tudo bem? Que bom saber que gostou do artigo! Sinto muito pelas suas Vandas. Devo confessar que já tive algumas, mas elas não se adaptaram a lugar algum aqui no apartamento. Espero que as suas fiquem bem, é sempre uma questão de procurar o local adequado.

      Muito obrigado pela visita e pela participação!

      Um grande abraço!

      Excluir
  11. Oi Sérgio! Parabéns pelo site e pelas orquídeas. Quanto à luminosidade, há um horário melhor para medí-la? Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernando! Tudo bem? Muito obrigado pelo apoio!

      Boa pergunta, eu costumo fazer duas ou três medições ao longo do dia, para tirar uma média. Mas o valor mais importante é referente ao horário em que as orquídeas recebem a maior quantidade de luz.

      Um grande abraço!

      Excluir

  12. Olá, Sergio! pesquisando na internet sobre orquideas encontrei seu site e estou achando muito interessante as suas dicas, principalmente pq moro num apartamento , sempre adorei orquideas e no ano passado ganhei duas do meu marido a phalaenopsis e ontem comprei uma mini da mesma especie, porem as duas que ganhei já faz um ano e estão lindas porem ainda não deu flores e lendo seu artigo sobre luz e tbm pesquisando descobri que é falta de luz, então há mais ou menos um mes estou deixando elas bem pertinho da janela da lavanderia, mas acho que é pouco tempo pra ocorrer alguma mudança em relação a floração, mas notei que uma delas está dando brotos ou melhor dizendo keikis descobri esse termo ontem, rss, ainda sou muito leiga no assunto, a minha dúvida é: o que eu faço com esses brotos? e agora que as deixo perto da luz vai demorar mais ou menos quanto tempo para florescerem? muito obriga e vou continuar lendo os artigos do seu site!
    abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris, tudo bem? Que legal saber que está gostando dos artigos! Muito obrigado pela visita, seja muito bem-vinda! De fato, você já pesquisou bastante coisa sobre as suas orquídeas, parabéns! Tudo o que fez está certo, agora é só aguardar os resultados.

      A vantagem das Phalaenopsis é que florescem o ano todo, sem uma época específica. Não dá para ter certeza quando será a próxima, mas se você as mantiver com bastante luminosidade indireta, não vai demorar.

      Os keikis podem ser deixados junto à planta mãe até que desenvolvam raízes relativamente longas, capazes de apoiar e suprir o broto sozinho. Até lá, pode-se borrifar com água ou envolver as raízes com musgo sphagnum. Boa sorte!

      Muito obrigado pela participação, qualquer dúvida, estou à disposição!

      Um grande abraço!

      Excluir
    2. Obrigada pela resposta!! em relação aos keikis eles estão no alto da haste , eles vão dar raizes e vão cair até o substrato ou eu tenho que cortá-los e mudá-los de lugar?

      Excluir
    3. Oi, Cris, imagine, de nada! Isso, os keikis vão desenvolver raízes. Quando elas atingirem um bom comprimento (uns 5 cm, mais ou menos), será preciso cortá-los com cuidado da planta mãe e colocá-los em um vasinho separado. Abraços!

      Excluir
  13. Já li este post 3 vezes, e lá vou eu ajustar tudo novamente, hoje beirei a desistência pois fiquei muito triste com algumas plantas que já fiz de tudo por elas. Mas seu blog da uma animada, nao sei ate quando vou conseguir insistir, nao quero flores, apenas que se desenvolvam bem e tantos foram os percalços desde 2009 que as vezes penso se o otimismo já virou teimosia. Parabéns pelo excelente material do blog, e me desculpe se sempre li no anonimato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Poxa, sinto muito pelos problemas. Mas não desista, eu também já perdi muitas orquídeas e ainda as perco. Não dá para acertar sempre, mas o prazer maior está na caminhada com estes seres imprevisíveis.

      Que bom saber que gostou do artigo, muito obrigado pela visita e por comentar!

      Um grande abraço e boa sorte!

      Excluir
    2. Olá Sérgio tudo bom?
      Sempre acompanho o seu blog pois tem otimas dicas e incentivo para nós iniciantes hehehhhe. Agora fiquei curiosa sobre o artigo de luminosidade para cattleyas de Carlos Keller, pode me dizer aonde encontrar o artigo completo para eu ler?? Desde já muito obrigada.

      Excluir
    3. Oi, Suzana, tudo bem? Que ótimo saber que tem acompanhado o blog, muito obrigado pelo apoio!

      Graças à sua mensagem, descobri que o artigo do Carlos Keller não está mais no ar. Uma pena, vou entrar em contato com ele e tentar uma cópia para te fornecer, ok?

      Muito obrigado pela visita e pelo interesse!

      Um grande abraço!

      Excluir
  14. Parabens, muito bom seu blog sobre orquídeas no apê eu acho essencial ter orquídeas no apè como disse em um post anterior elas são um terapia nos aliviam do stress cotidiano nasci em sitio e odeio ficar longe do "verde" e quer saber mesmo quando não florescem ainda adoro ver elas crescendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Com certeza, concordo plenamente! Também fico mais do que satisfeito apenas por ver o crescimento da planta! De fato, é uma atividade que funciona como uma terapia. Muito obrigado pela visita e pelo comentário, muito enriquecedor!

      Um grande abraço!

      Excluir
  15. Cara, muito obrigado por compartilhar este conhecimento embasado em conhecimento cientifico, pois a maioria dos blogueiros sempre trabalham com "achismos", informação consistente, é o que faz suas postagens tão agradáveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rafael! Que bom saber que está gostando dos artigos, fico feliz! Imagine, eu que agradeço a você por este importante feedback. É graças a mensagens como a sua que me animo a continuar postando. Muito obrigado pela visita e apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  16. Excelente são as suas informações. Ganhei algumas orquídeas e como não soube cuidar muito bem elas não floresceram mais e uma acho que morreu, como aprendi a amar essas plantas hoje vim atrás de informações para cuidar bem delas e achei essa página excelente. Quanta dedicação com orquídeas... parabéns!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Que ótimo saber que gostou do blog! Seja muito bem-vinda! Espero que suas orquídeas fiquem bem e que sua coleção aumente sempre! Muito obrigado pela visita e pelo carinho do seu comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  17. Amigo, meu apartamento é face leste. Pega o sol da manhã em tudo. Iniciei minha coleção em maio e já tenho 84. Passo longos períodos observando cada uma delas, Decidi colocar as Vandas na varanda em estantes que usava para outras plantas. Você acha que preciso colocar sombrite lá também? No quarto delas eu já coloquei. Mas porque tenho Phal, Oncydium, Dendrobium, Cattleyas e algumas mini que não sei o nome. No quarto elas se dão muito bem na bancada da janela, mas as Vandas gostam mais de liberdade, não é isso? Borrifo todos os dias suas lindas raízes e adubo também. Só tenho medo pelo excesso de calor. Me ajude, por favor. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Lucia! Que ótimo, o sol da manhã é ideal para as orquídeas. Parabéns pelas 84 orquídeas, que legal! Eu colocaria sombrite, por precaução, principalmente durante o verão, quando o sol é mais forte. É sempre bom prevenir.

      Um grande abraço!

      Excluir
  18. Oi Sergio amei seu blog, sou iniciante é muito bom ter informações tão preciosas ao nosso alcance!
    Tenho uma vanda muita debilitada o que eu posso fazer para recupera-la?
    Muito obrigado.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Célia, tudo bem? Que bom que gostou do blog! Muito obrigado pela visita e apoio, seja muito bem-vinda!

      A Vanda é uma orquídea mais exigente, principalmente quanto à umidade e adubação. Por ter as raízes aéreas, elas precisam ser borrifadas constantemente, até várias vezes ao dia, durante o calor. Você pode tentar adicionar um substrato, como musgo sphagnum, para aumentar a umidade. Manter esta orquídea próxima a um lago, tanque ou fonte de água também ajuda bastante. Boa sorte!

      Um grande abraço!

      Excluir
  19. meu esposo fez varios vasos mas quando esta para dar flor seca a madre que passaria não entendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria! Que pena, sinto muito. Para saber o que acontece, precisaríamos saber mais detalhes, tais como o nome da orquídea, o tipo de vaso e substrato e o local onde está plantada. Tomara que suas orquídeas floresçam em breve. Boa sorte e muito obrigado pela visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  20. Eu sempre gosto do q vc explica. A luz q as flores precisam, o sol da tarde q e mto forte, vc e sempre bm vindo.. Obrigado por tdo..As q ainda tenho vou cuidar..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eva, tudo bem? Que bom saber que está gostando das explicações! Fico contente! Imagine, eu que agradeço a você pelo carinho e apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  21. Adoro flores. Quando mudei para meu apartamento, a maior dificuldade foi manter as plantas que eu tinha. Doei muitas antes que morressem por causa do vento e pelo sol (que aparece na sacada por volta das 16 hrs...). Sempre ouvi dizer que orquídeas eram "cheias de frescura ". Há alguns meses essas "frescurinhas" tem florido meu "jardim" e este site me ajudado a cuidar de minhas "menininhas"... Obrigada pela ajuda!
    Natalia - Osasco SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Natalia! Que lindo o seu relato! Fico muito feliz por saber que suas meninas estão se dando bem no seu apartamento. Parabéns pelo cultivo!

      Imagine, eu que agradeço a você pelo carinho da visita e por compartilhar sua experiência!

      Um grande abraço!

      Excluir
  22. Olá Sergio boa noite. Tenho algumas phal em casa (apto) e moro no 11 andar. Andei seguindo varias de suas dicas e agora estou aguardando os resultados. Elas estão bem, no geral mas ainda aguardo por flores, elas estão numa janela face oeste e estão bem adaptadas apesar de ter feito replantio de todas a menos de um ano. Tb coloquei bacias de agua embaixo de todas como vc sugeriu pq estavam muito secas. Minha duvida é a seguinte: Apenas os vidros canelados são suficientes para protege-las do sol da tarde ou preciso de alguma coisa a mais como sombrite ou cortina para mais eficiencia nesse processo? Uma delas floriu recentemente e está linda mas acho que esta com poucas flores, só vieram 5 desta vez. Enfim, muito obrigado pelas dicas e se tiver algum problema a mais volto a te contatar. Até logo e obrigado novamente.


    Roger Alves - SP/Capital

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Roger, boa noite! Tudo bem? De fato, algumas orquídeas podem demorar um pouco mais a florescer após o replantio. Por segurança, eu colocaria uma tela de sombreamento (50%) na parte da tarde, principalmente a partir de agora, que começa a esquentar. Confesso que não saberia precisar quanto dos raios solares é bloqueado pelo vidro canelado.

      Mas que ótimo saber que uma delas já floresceu, sinal de que as coisas estão indo bem. Muito obrigado pela visita, um ótimo cultivo para você!

      Um grande abraço!

      Excluir
  23. Ola Sergio, parabéns pelo blog.
    Bem eu tenho duas orquídeas na qual não sei o nome .. uma é vermelha apenas com uma flor e a outra branca com varias flores. Só me restaram o bulbo tipo uma beterraba, como faço para resgatá-las?
    pois sou apaixonadas nelas.

    Me ajuda por favor?!!
    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tudo bem? Muito obrigado pela visita! Eu precisaria de mais informações para saber o que aconteceu. Você poderia postar uma foto em alguma rede social? Desta forma, poderei ajudar.

      Um grande abraço!

      Excluir
  24. Mais um belo texto com grande clareza e extremamente didático. E justamente o que eu precisava, neste momento! Para decifrar as necessidades da minha Maxillaria tenuifolia, que nunca floresceu nestes dois anos em que está comigo! Vamos já corrigir a luminosidade!! Valeu, obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom saber disso, Alexia! De fato, a Maxillaria tenuifolia é uma orquídea que gosta de bastante luz. Torço para que ela floresça em breve. Fico feliz por saber que o texto foi útil, muito obrigado pelo comentário generoso!

      Um grande abraço!

      Excluir
  25. Olá Sergio Oyama Junior!
    Só recentemente cocei a me interessar por orquídeas, um casal de amigos foi em bora de minha cidade em dou 20 orquídeas, nenhuma delas com flor e todas bem judiadas,como gosto de plantas, tenho horta, jardim e pomar, fui agraciada com elas, pendurei todas nos galhos de minha mangueira (um enxerto de rosa com palmer) e aparentemente elas estão bem, pois a phalaenopis já floriu, uma denphal também e agora a gongora bufonia Lindl. tenho feito a manutenção delas de 2 em dois meses, conforme o que li no google, mas achei interessante o que falou sobre luz, pergunto comprei uma Wanda que está para chegar e vi que na sua tabela é ela quem is necessita da luz matinal (moro em João Pessoa) dá certo eu mantê-la em baixo da mangueira? Desde já agradeço a atenção dispensada, e amei descobrir o senhor através do Grupo Natubela da qual faço parte! Parabéns por ser este pesquisador despojado e nos ensinar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria Rita, tudo bem? Que honra receber a sua visita e que alegria saber que participa do Natubela! Adoro esta comunidade. E parabéns pelas suas orquídeas, que belo gesto de acolhê-las e fazê-las florescerem.

      De fato, a orquídea Vanda precisa de bastante luz. Ela gosta de ficar pendurada, com as raízes aéreas. A princípio, acredito que a mangueira possa fazer muita sombra para a Vanda. O ideal seria um local mais iluminado, bem ventilado e com bastante umidade. Espero que dê tudo certo. Muito obrigado pela visita e pelo carinho da sua mensagem!

      Um grande abraço!

      Excluir
  26. Olá Sergio,
    Parabéns pelos seus artigos, que sempre apresentam bastante conteúdo de qualidade além de serem muito bons de ler. Também, quero te parabenizar pela pessoa que você é, pela sua generosidade em disponibilizar estas valiosas informações aos desconhecidos, pela sua gentileza e enorme humildade. É louvável encontrar pessoas assim...
    Quero aproveitar também para te pedir uma orientação sobre a questão da luminosidade. Adquiri cerca de 40 orquídeas a poucos meses de variados gêneros (cattleyas, oncidiuns, bulbophylluns, dendrobiuns, coelogyne, sophronitis, maxillarias - incluindo a orquídea negra - e neofinetia falcata). Todas estas plantas estavam pegando um pouco de sol da manhã, no entanto, no decorrer deste último mês, em função do deslocamento do sol, elas deixaram de receber esta incidência direta dos raios solares (que recebiam pela manhã). As plantas estão num local (embaixo do beiral da minha casa) com bastante claridade, no entanto, agora, sem a incidência direta dos raios solares, eles estão incidindo a pouca distância delas. Infelizmente, não tenho nenhum instrumento para medir a luminosidade do ambiente. Gostaria de saber se você acha que devo mudar as plantas de lugar para que elas recebam a incidência direta dos raios solares ou devo mantê-las onde estão e esperar o sol voltar daqui a alguns meses? Será que esta falta de sol poderá prejudicar a floração delas?
    Aguardo seu retorno e agradeço desde já. Abraço! Marina Medeiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marina, tudo bem? Que alegria saber que tem gostado dos artigos! Muito obrigado pelas palavras de incentivo, são muito importantes para mim!

      Pela sua descrição, acredito que suas orquídeas estejam em um bom local. Não é necessário que elas recebam sol direto, é até preferível que esta luminosidade seja indireta ou filtrada por uma tela de sombreamento. Portanto, acho que está tudo certo. Se o sol voltar a incidir diretamente, é importante que seja apenas no início da manhã ou no finalzinho da tarde, para não queimar as folhas.

      Um grande abraço!

      Excluir
    2. Oi Sergio,

      Que maravilha que não precisarei mudar as plantas de lugar, fiquei aliviada, seria um transtorno enorme ter que mudá-las... Então, para eu ter um referencial, posso entender que esse ambiente que te descrevi, com bastante claridade mas sem a incidência direta dos raios solares, pode ter uma luminosidade por volta de 3.500 fc (que é teoricamente suficiente para o cultivo das cattleyas)? É isso mesmo, ou estou equivocada? Outra coisa, você tem idéia de qual seria, aproximadamente, a luminosidade (em fc) ao nascer do sol, ou seja, a luminosidade daquele sol da manhã bem fraquinho? Perdoe-me por estar ocupando o seu tempo com tantas perguntas, é que nem sempre encontramos pessoas como você, com tanto conhecimento no assunto e que aceitam dividir e divulgar o conhecimento sem fins lucrativos. Para mim, realmente, é uma honra poder ter contato com você e poder esclarecer algumas dúvidas.
      Fico aguardando seu retorno e agradeço pelas valiosas informações recebidas. Um enorme abraço!
      Marina F. Medeiros (Caxias do Sul – RS)

      Excluir
    3. Oi, Marina! Sim, imagino que seja um ambiente adequado. O mais importante é que não incidam raios solares diretamente, durante as horas mais quentes do dia. O sol do início da manhã é benéfico às orquídeas, mas infelizmente não sei o valor em fc.

      Um grande abraço!

      Excluir
  27. Olá Sérgio tudo bem? Conseguiu o atquivo sobre luminosidade como Carlos. Se conseguir pode enviar por email por favor? Pequenn@gmail.com
    Obrigada mesmo viu
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Suzana? Peço mil desculpas pela falta de retorno sobre este assunto. Infelizmente, não consegui o arquivo. Mas aqui na seção de entrevistas, não sei se já viu, tem várias informações com o Carlos Keller, espero que sejam úteis.

      Um grande abraço!

      Excluir
  28. Olá, fiquei interessada muito em conseguir medir corretamente o fc. Vc saberia me indicar qual aplicativo posso baixar no iPhone?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Talita, tudo bem? Existe um aplicativo chamado LightMeter. Ele foi desenvolvido para fotógrafos, mas dá para usar no cultivo. Existem tabelas na internet para converter os valores em fc.

      Um grande abraço!

      Excluir