O despertar de uma micro-orquídea - Sophronitis cernua


Botão floral da micro-orquídea Sophronitis cernua
Sophronitis cernua

No universo das micro-orquídeas, é comum nos depararmos com flores tão minúsculas que requerem uma lupa para serem apreciadas. Não é o caso da Sophronitis cernua. Apesar do seu tamanho diminuto (poderia ser plantada em um dedal), esta orquídea produz uma floração exuberante, em cores que variam do amarelo ao vermelho vivo, passando por vários tons de laranja. Um espetáculo que pode ser notado à distância.

Há vários anos, tento cultivar esta geniosa micro-orquídea. Já perdi alguns exemplares, mas sempre tento novamente. O principal requisito para o cultivo bem sucedido é fornecer uma boa umidade relativa do ar. Aqui no apartamento, devido ao clima árido, vento forte e sol intenso, plantei a orquídea em um vaso plástico com musgo sphagnum. Somente assim, consegui mantê-la viva. Adicionalmente, o vaso fica sobre uma bandeja coberta com pedrisco e uma lâmina de água. Tudo para elevar a umidade ambiente.

Ainda assim, foram mais alguns anos sem ver flor alguma. Neste começo de ano, quando uma nova folha começou a ser formada, notei que a mesma estava meio gordinha. Quando finalmente se abriu, veio a surpresa. Um único botão, do tamanho de um grão de arroz. Para os orquidófilos experientes, uma floração pífia. Para mim, após anos de espera, uma vitória. Em breve, os próximos capítulos desta verdadeira saga.

14 comentários:

  1. Adoro ver o "nascimento de uma flor"..eu sempre digo que é como uma gravidez..ficamos "curtindo' até que ela aparece..e quando desabrocha então...nos enche de alegria...

    Linda Sergio!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suely! É verdade, concordo plenamente. Também acompanho o desenvolvimento de cada uma como uma gestação! Usamos até o termo 'aborto' para quando as coisas não saem como o planejado.

      Que ótimo receber sua visita e ler seu comentário! Muito obrigado pela gentileza e carinho!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Sergio vejo seus posts e fico esperando o próximo!Adoro seus comentários sobre as orquídeas. Eu já estou no 3 exemplar dessa mocinha,a planta está linda,mas flores...continuo no meu jardim verde...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cida! Imagine, fico super feliz por saber que está gostando! Muito obrigado pelo apoio e carinho, adoro receber sua visita aqui no blog!

      Mas que pena, sinto muito pela ausência de flores no seu jardim. Ainda assim, já é um consolo o fato da planta estar linda. Torço para que, assim como aconteceu aqui, sua Sophronitis floresça muito em breve! Boa sorte!

      Um grande abraço e tudo de bom!

      Excluir
  3. Maravilha...incrivel que essa pequena ofereça excelentes closes, ainda melhores pq seu olhar e talento estão sempre atentos! Parabéns pela insistência e dedicação à essa menina! Boa noite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jalon! Pois é, fiquei bastante feliz! Esta não se compara à profusão de flores que vi no seu blog, mas já é um bom começo para mim! Que bom receber sua visita, muito obrigado pelo apoio!

      Um grande abraço e uma ótima noite!

      Excluir
  4. Parabéns! Compartilho com você a mesma empolgação. Comprei a minha muda com a Carol Costa, ela veio com 2 brotinhos. Imagina a minha surpresa quando esses brotos já grandes abriram revelando 3 botões em cada! Seu desenvolvimento é bem devagar, e acompanho todo o dia, um dos brotos abortaram 2 botões, já o outro está com os tres bem fortes, já adquirindo o tom alaranjado. O clima aqui também é seco, resolvi a umidade transplantando-as para um cone de barro (ou pau de barro como é conhecido em alguns lugares), e elas estão gostando muito. Sucesso com a floração! Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cintia! Que legal! De fato, as orquídeas da Carol Costa são um espetáculo. Que sorte a sua, parabéns! Imagino a sua alegria e ansiedade. De fato, este pau de barro é ótimo para o cultivo desta orquídea. Já vi algumas neste meio, florescem lindamente.

      Muito obrigado pela visita e pelo incentivo!

      Bjos e tudo de bom!

      Excluir
  5. oi Sérgio, é muuuito amor, muuuuita dedicação,
    Parabéns pelo seu dom, relamente uma vitória! e quem sabe nas próximas ela multiplica esta floração.
    Vou aguardar!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana! Pois é, confesso que já desisti de algumas orquídeas que não consegui cultivar. Mas, neste caso, insisti bastante! E, de fato, valeu a pena. Tomara que venham mais flores no ano que vem.

      Que ótimo receber sua visita, muito obrigado pelo carinho e consideração!

      Um grande abraço!

      Excluir
  6. A paciência e perseverança são virtudes, tu bem sabes e a gora vc terá sua recompensa... creia. E nós, estamos aqui ansiosos para ver mais uma linda flor. Um bj, estou na torcida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nádia! É verdade, sempre vale a pena perseverar. Belas palavras. Muito obrigado pelo apoio e pela torcida! Espero voltar em breve com a flor aberta!

      Bjos!

      Excluir
  7. Olá, Sérgio! Vi a reportagem a respeito da Phalaenopsis azul, mas gostaria de confirmar com você; a coloração azul se dá devido a um corante ingetado na haste floral quando está se formando, não é? Desse modo, as próximas florações serão da cor original da orquídea, que geralmente é branca, está correto?
    Você tem a Sophronitis Coccinea? Eu gostaria muito de adquiri-la, mas não consigo encontrá-la disponível para venda, você poderia me indicar um local? Atenciosamente, Melanie.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Melanie, tudo bem? Sim, em relação à Phalaenopsis azul, você está corretíssima! Quanto à Sophronitis coccinea, eu tenho uma há alguns anos, mas nunca deu sinal de vida. Como não gostei do fornecedor, prefiro não recomendá-lo. É bastante comum encontrá-la à venda em exposições.

      Um grande abraço!

      Excluir