Entrevista com Lúcia Morimoto


Orquídea Robiquetia cerina
Robiquetia cerina

A entrevistada de hoje transformou uma granja falida em um dos mais conceituados orquidários do país. Presidente da Associação Orquidófila de São Paulo (AOSP), Lúcia Morimoto e sua irmã Márcia (autora da foto acima) são hoje referências no cultivo de orquídeas. A seguir, confira dicas valiosas desta especialista no assunto.

O.A. Com tantas responsabilidades à frente da AOSP e do Colibri, sobra tempo para se dedicar pessoalmente ao cultivo de orquídeas? Você mantém uma coleção particular? Em caso positivo, como ela está composta? 

L.M. Realmente, não sobra tempo. Quem cuida das plantas de coleção é a minha mãe. Ela vai todos os dias para a estufa de coleção, que é separada das estufas de produção. Tanto que, quando alguma orquídea recebe o prêmio de melhor cultivo, entregamos a ela, que fica toda feliz! 

As orquídeas estão uma parte em bancadas e outra parte penduradas. Procuramos não dividir as touceiras, só fazemos isto quando a planta está com algum problema. Para mim, uma orquídea de coleção é bonita quando está em seu auge, ou seja, com várias frentes floridas.

Lúcia Morimoto
Lúcia Morimoto

O.A. O tratamento que as orquídeas premiadas das irmãs Morimoto recebem é muito diferente daquele que nós, leigos, fornecemos? Como atingir tal nível de excelência? 

L.M. Não diria excelência. Diria que temos a sorte de morarmos em uma chácara na Serra do Mar, onde a umidade é alta e a amplitude térmica favorece a maioria das espécies, pois estamos a uma altitude de 800 m. Também temos uma água de boa qualidade para irrigação. Muitos pensam que temos algum segredo no cultivo, mas nada mais é do que termos um lugar com condições climáticas favoráveis. 

Como disse anteriormente, outro fator que ajuda na hora do julgamento, e consequentemente premiação, é o tamanho das plantas. Às vezes, as flores podem não ser aquela perfeição, mas o conjunto da planta faz com que se destaque.

O.A. Costumo receber ofertas de produtos importados, extratos de plantas, de peixes, todos eles prometendo orquídeas mais saudáveis e florações exuberantes. Eles funcionam? São necessários? O que é realmente essencial para um bom cultivo? 

L.M. Também recebemos diversas ofertas, muitas vezes até insistentemente, sob a alegação de que, se gostarmos e aprovarmos, muitos outros orquidários também começarão a usar. Na verdade, utilizamos uma formulação simples nas fertirrigações. Utilizamos adubo 20-20-20 solúvel, sulfato de magnésio e nitrato de cálcio, nas seguintes proporções: Para 1.000 litros de água, dissolvemos 500 g do adubo 20-20-20, 150 g de magnésio e 300 g de cálcio. Dissolvemos separadamente e em seguida misturamos tudo e regamos com esta solução. Não fazemos adubação foliar, como muitos recomendam, pois dá muito trabalho. Fazemos apenas via irrigação, o que exige uma boa saúde do sistema radicular. A adubação é quinzenal, ou seja, são 2 ou 3 regas com água pura e 1 com adubo. Este 'sanduíche' de irrigação pode levar de 20 até 30 dias, dependendo das condições climáticas e também do substrato que se esteja utilizando.

Além da adubação, é importante observar a luminosidade, ventilação e temperatura.

O.A. Quais seriam as orquídeas, compactas e de fácil cultivo, ideais para serem mantidas em apartamento? 

L.M. Recomendo Phalaenopsis, que pode ser encontrada em vários tamanhos e cores. Se a pessoa já é iniciada, pode arriscar algumas Cattleya de porte médio e mini, também Bulbophyllum e micro-orquídeas. Acho interessante começar a testar orquídeas que tenham as folhas grossas, que são mais resistentes a ambientes de baixa umidade relativa. 

Apartamento é sempre mais seco do que uma estufa, portanto é importante criar um espaço onde as plantas possam tomar um banho por inteiro a cada rega. Caso não seja possível, pode-se levá-las para a lavanderia, ou ainda tanque ou pia, e lavá-las por inteiro. É muito importante que a orquídea receba um bom banho, de vez em quando. Como paciência tem limite, pode-se dar um jeito pulverizando-a por inteiro sempre que puder, às vezes várias vezes ao dia, dependendo do clima ambiente.

O.A. Como é a equipe de um orquidário comercial do porte do Colibri? Qual o perfil dos profissionais? 

L.M. O porte do Colibri não é grande, trata-se de uma empresa familiar. Atualmente, somos em um total de 17 pessoas envolvidas no orquidário. São 7 familiares e 10 funcionários. 

Quanto à divisão de tarefas, meu pai cuida das orquídeas que vão para o mercado, é dele a função de tutorar as hastes florais dos Oncidium. Minha mãe cuidas das orquídeas da coleção, replanta, rega, divide, aduba, limpa... Eu cuido mais da parte administrativa, também preparo plantas para entregar em algumas lojas em São Paulo e atendo nossos clientes que fazem vendas em exposições Brasil afora. Também vou fazer vendas de vez em quando. Minha irmã Márcia administra o laboratório. Os outros 3 irmãos cuidam da produção, separando mudas para serem replantadas, embalam para as vendas, atendem clientes, etc... Serviço é o que não falta! Já os funcionários estão em todas as etapas de produção, na maioria plantando as mudas, seja nos frascos (no laboratório), nos coletivos, nos potinhos individuais e nos vasos finais. Além da rega, que é atribuição de todos que não estejam no laboratório.

É sempre um privilégio poder aprender com pessoas que, além de serem especialistas no assunto, são generosas para compartilhar seu conhecimento e experiência. À Lúcia Morimoto, meu muito obrigado pela excelente entrevista. Não poderia deixar de agradecer à Márcia Morimoto e ao Dalton Holland Baptista pela colaboração na elaboração desta entrevista.

10 comentários:

  1. Orquidário ótimo, mudas lindas e saudáveis.
    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bete, é verdade! Também gosto muito deles. Muito obrigado pela visita! Abraços!

      Excluir
  2. Adorei! Estou aprendendo muito com vocês. Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Janete, que bom saber! Eu não sei muito, mas os entrevistados têm sido muito generosos, também aprendo bastante com eles. Imagine, eu que agradeço pela visita e apoio! Abraços!

      Excluir
  3. Excelente entrevista meu amigo Sergio, como sempre, principalmente com este ícone da orquidofilia paulista. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Willy, imagine, muito obrigado! Que bom que gostou, valeu pela visita! Um grande abraço!

      Excluir
  4. Adorei! Parabéns Sérgio pela entrevista e parabéns a família Morimoto pela qualidade das orquídeas e pelo exemplo de dedicação e união. Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila, que bom que gostou! Muito obrigado pelo comentário. Concordo plenamente com você, é uma família exemplar. Um grande abraço!

      Excluir
  5. Adoro quando os nossos ídolos dividem com a gente seus segredinhos de cultivo sem fazer doce. Obrigada, Sergio, por revelar um pouquinho dessa grande orquidófila!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol, é verdade. Confesso que fiquei surpreso com as respostas detalhadas e ricas em informações preciosas. Imagine, eu que agradeço pela sua visita e prestígio, sempre! Um grande abraço!

      Excluir